CELEBRIDADES

Beyoncé dá tapa na cara de Trump e entrega prêmio a Colin Kaepernick

Author

Colin Kaepernick foi o primeiro jogador da NFL a se ajoelhar toda vez que o hino americano era tocado nos jogos da liga profissional de futebol americano. O gesto, um protesto contra o racismo nos EUA, foi visto por muitos como um desrespeito ao país, à bandeira e a seus militares. O resultado da polêmica foi o desemprego. Depois de terminar seu vínculo com o San Francisco 49ers, Kaepernick, um atleta de valor, não recebeu oferta alguma na NFL.

Beyoncé dá tapa na cara de Trump e entrega prêmio a Colin Kaepernick

(Imagem via YouTube / Billboard News)

Por outro lado, o movimento despertou os sentimentos que Kap queria. Gerou debates, conversas e discussões. O gesto, feito pela primeira vez no segundo semestre de 2016, foi copiado por outros jogadores da NFL. Ainda hoje, mais e mais gente se manifesta a cada dia, embora haja críticos. O mais famoso deles é Donald Trump, presidente americano, que ironiza os gestos e pede a demissão desses jogadores.

Por isso, foi lindo quando Beyoncé apareceu de surpresa - mesmo - num palco de Nova York para entregar a Colin Kaepernick o Muhammad Ali Legacy Award, prêmio dado pela revista Sports Illustrated ao atleta cujas ações honrariam o famoso boxeador. E também foi lindo quando Beyoncé começou o discurso com “muito obrigado”.

E não foi só isso. A cantora ressaltou que “Colin agiu sem medo das consequências ou da repercussão, apenas com a esperança de mudar o mundo para melhor. Para mudar a percepção, para mudar a maneira com que tratamos uns aos outros. Especialmente pessoas de cor.”

Por fim, Beyoncé ainda mandou uma forte mensagem a quem insiste em tentar mudar o foco dos protestos iniciados por Kaepernick: “O racismo é tão americano que quando protestamos, algumas pessoas presumem que estamos protestando contra os EUA.”