CIÊNCIA

Big Bong Theory: hospital dinamarquês usa cannabis para tratar epiléticos

Author

O uso medicinal da maconha vem sendo ampliado a cada dia que passa. Agora é a vez de um hospital dinamarquês, na cidade de Dianalund, começar a tratar alguns tipos pacientes com cannabis.

Big Bong Theory: hospital dinamarquês usa cannabis para tratar epiléticos

O Epilepsy Hospital Filadelfia acaba de iniciar um projeto piloto para avaliar os efeitos positivos de cannabis em pacientes com epilepsia. O projeto foi aprovado em novembro de 2016 e, durante o experimento, será usada cannabis não-processada em 1.500 pacientes.

Segundo o diretor do hospital, Helle Hjalgrim, a cannabis foi escolhida por ser comprovadamente uma substância que alivia convulsões - o pior dos sintomas da epilepsia.

Embora não pareça uma grande novidade, já que muitos países já vêm adotando a maconha para efeitos medicinais, na Dinamarca é algo inovador. O governo do país sempre adotou uma política de tolerância zero com maconha - tanto para uso medicinal quanto para recreativo.

Big Bong Theory: hospital dinamarquês usa cannabis para tratar epiléticos

Mesmo assim, as agências de medicina da Dinamarca e a Associação Médica do país se recusam a apoiar a iniciativa, alegando que os efeitos colaterais da cannabis, como ansiedade e reações de pânico, são motivo suficiente para que não valha a pena experimentar.

De qualquer modo, espera-se que pelo menos 50 mil pacientes se beneficiem da maconha medicinal no país. Tina Horsted, uma das primeiras médicas da Dinamarca a prescrever cannabis, diz que sempre recebe pacientes que não tiveram sucesso no tratamento de dores com morfina ou outros produtos. Ela afirma que a cannabis funciona em pelo menos 50% dos casos e que o mesmo pode acontecer com quem sofre de epilepsia.