OUTROS

Espiar no celular do parceiro: doença ou algo normal?

Author
Espiar no celular do parceiro: doença ou algo normal?

Facebook, WhatsApp, Messenger, Skype, Snapchat... são tantas as maneiras de se comunicar com as pessoas. E para os ciumentos também são excelentes meios de saber como o parceiro ou parceira se relaciona com os outros. Se usa apelidos carinhosos ou fala coisas mais provocantes. Ou mesmo se até usa o Tinder! No entanto, quem tem essa mania não está vivendo um relacionamento saudável e a vítima dessa invasão de privacidade se não enfrentou uma loucura do outro por ciúmes, logo enfrentará um inferno.

A curiosidade de conhecer os segredos do parceiro é algo humano e compreensível, mas, como em tantas áreas da vida, a curiosidade deve ser controlada. Quando a pessoa começa a investigar com quem o outro fala e como, se há indícios de uma traição ou não no celular ou computador da pessoa, é porque faltam bases sólidas de uma relação saudável e equilibrada.

De que vai adiantar isso?

Ou você confia ou não. Ou você deixa a porta aberta para o outro ir embora quando quiser ou você viverá eternamente com medo, porque não há como fazer alguém feliz numa prisão. E não se pode ser feliz também aprisionado no próprio ciúmes.

O mais saudável é perguntar diretamente: "você está interessado em outra pessoa? Já teve algum affair enquanto estava comigo?"

Se for um parceiro comprometido, tentará esclarecer as dúvidas reforçando a cumplicidade e nutrindo a relação com a confiança. Se for um canalha irá negar, mas honestamente: você sabe quando a pessoa é canalha. Há sinais por todos os lugares como:

A maneira que se refere à beleza ou à aparência de alguém...

... ou como expressam o que acham que deve ser o papel da mulher...

... como acreditam o que as mulheres em geral querem dos homens...

... como as mulheres canalhas veem um homem...

... e como as pessoas galinhas são controladoras e ciumentas.

... enfim, o que não falta no mundo é uma galera do mal quando se trata de compromisso. E isso não tem nada a ver com gênero!

Um estudo realizado pela Universidade de Roanoke, na Virgínia (EUA), mostrou como a rede social afeta as relações causando ciúmes, especialmente nas mulheres. A pesquisa também observou algumas diferenças entre homens e mulheres na hora de desconfiadamente interpretar sinais como os emoticons presentes nas respostas, que parecem despertar ciúmes principalmente em homens.

No caso do celular, homens e mulheres interpretam as mensagens de texto de maneiras muito diferentes. Outra pesquisa realizada por cientistas da Universidade Metropolitana de Cardiff (País de Gales, Reino Unido) apresentou a um grupo de estudantes algumas mensagens imaginárias de dois tipos, de caráter sexual e emocional, para ver como respondiam. Depois de medir de que forma sustentavam os olhares e analisar seus movimentos oculares, concluíram que as mulheres passavam mais tempo olhando mensagens de conteúdo emocional do que as sexuais, justamente o contrário dos estudantes do sexo masculino. Portanto, não estranhe que, diante de uma mesma mensagem, você e seu parceiro tenham uma interpretação diferente que dê origem a um mal-entendido.

Mas se você for o tipo de pessoa que espia, fique tranquilo porque você não tem uma doença e talvez nem precise de tratamento (talvez). O que ocorre é uma visão de vida e do amor romântico que deve ser revista para que você alcance a paz nos relacionamentos, muito embora isso pode ser algo que você provavelmente não esteja buscando no seu inconsciente ao realizar essas “buscas e apreensões” no celular do parceiro. Por outro lado, a você intimamente já intui o que está acontecendo, mas por falta de companheirismo, você e o outro talvez estejam insistindo em algo que não está tão legal.

Uma coisa precisa ficar clara: traição está no DNA do canalha e não dos homens em geral ou das mulheres em geral. As pessoas que traem não respeitam o relacionamento e nem o companheiro(a): não possuem maturidade emocional para sustentar esse tipo de compromissos e nem uma visão de vida centrada em valores superiores para que o romance evolua.

E o que fazer se recebermos uma mensagem comprometedora, por exemplo, de um colega de trabalho? Apague e corte a iniciativa imediatamente. Se essa criatura sem noção for do trabalho, minha humilde opinião é de que é melhor não contar ao parceiro para evitar o inferno que será toda vez que você for trabalhar. E encare isso com naturalidade.