GAMES

Games que curam: os poderes terapêuticos de Tetris

Author

Video games são sempre culpados de alguma coisa. Há quem diga que jogos fazem crianças agirem de fora violenta. Outros afirmam que são pura perda de tempo. Tem até gente dizendo (sem prova nenhuma) que video game emburrece a gente. Isso existe desde que games são games. O que pouca gente sabe (ou gosta de admitir) é que jogar num console ou num computador também e terapêutico. Dois estudos recentes mostram que games podem ter impacto benéfico na mente humana. E ambos citam… TETRIS!

Games que curam: os poderes terapêuticos de Tetris

Lembram de Tetris, aquele game em que as peças vão caindo do alto e o usuário precisa encaixá-las como num quebra-cabeça? Então… Tetris foi projetado por um russo chamado Alexey Pajitnov e lançado em junho de 1984. O game fez tanto sucesso que, mesmo na época da Guerra Fria, foi o primeiro software exportado da União Soviética para os Estados Unidos e ficou famoso quando ganhou uma versão para o Game Boy, da Nintendo. Se você não lembra, basta ver o vídeo abaixo.

Pois duas teses acadêmicas sugerem que Tetris pode ajudar a suprimir vícios e memórias traumáticas. Um dos estudos mostra que o game pode ser usado para impedir estresse pós-traumático, depressão e outros problemas mentais. O outro argumenta que Tetris pode diminuir o apetite incontrolável de pessoas por certos vícios - como cigarro e álcool. 

E não é de hoje que os poderes terapêuticos de Tetris são mencionados. Em 2010, um estudo da Universidade de Oxford sugeriu que o game pode interromper o processamento da memória imediatamente após uma experiência traumática. Na pesquisa, participantes foram “traumatizados” com imagens de acidentes fatais e outras imagens sangrentas.

No estudo de Oxford, a “terapia Tetris” foi aplicada em vítimas de acidentes. Foram 37 pessoas que chegaram ao hospital da cidade em até seis horas após um acidente de trânsito. Essas 37 pessoas jogaram cerca de 20 minutos de Tetris no hospital. Uma semana depois, essas pessoas relataram que sofreram, em média, 8,7 flashbacks do acidente. Enquanto isso, um grupo de 34 pessoas que não jogaram Tetris somou uma média de 23,8 flashbacks semelhantes. 

Games que curam: os poderes terapêuticos de Tetris

Um outro estudo, realizado por pesquisadores americanos e australianos, acompanhou 31 voluntários que andaram com iPods durante uma semana e responderam questionários sobre seus vícios e desejos sete vezes por dia. Desse grupo, 15 pessoas jogaram três minutos de Tetris após os questionários, antes de responderem novamente sobre seus desejos.

Ao fim do acompanhamento, os pesquisadores descobriram que Tetris consistentemente reduzia a força do desejo em 13,9%. Os autores do estudo afirmam que essa porcentagem pode ser suficiente para que pessoas ignorem seus desejos e evitem vícios.