OUTROS

O corredor da cerveja virou uma loja de discos e você precisa visitá-la mais

Author
O corredor da cerveja virou uma loja de discos e você precisa visitá-la mais

Nem faz tanto tempo assim, né? Você entrava num supermercado, ia até o corredor das bebidas e encontrava lá uma meia dúzia de marcas diferentes. Só as grandes, mais famosas, em garrafas e latinhas. Pois esse cenário veio mudando, mudando e hoje esse mesmo corredor é um mundo de marcas e estilos diferentes fabricados em toda parte do planeta.

E não é só isso. Aos poucos, algumas cervejas viraram grifes de bandas. AC/DC, Kiss, Iron Maiden, Queen, Megadeth e até Rick Astley (aquele de Cry for Help e Never Gonna Give You Up) têm suas cervejas próprias. Passear por uma parte desse corredor é quase como navegar em uma loja de discos.

O corredor da cerveja virou uma loja de discos e você precisa visitá-la mais

Aliás, esse corredor de cerveja e as lojinhas especializadas em cervejas artesanais e importadas são mais parecidos com uma loja de discos do que as poucas lojas de discos que existem ainda hoje. Afinal de conta, todo mundo anda ou baixando álbums piratas ou comprando nas lojas virtuais ou simplesmente assinando serviços de streaming como Spotify e Deezer.

Hoje, entrar numa loja de cerveja é uma experiência. É onde apreciadores se encontram, discutem suas preferências, trocam indicações e conversam com lojistas, que apresentam as novidades. É mais ou menos como a galera fazia nos anos 80, quando era saboroso entrar numa loja de discos e conversar sobre aquela banda de punk rock que ainda não era conhecida no Brasil ou trocar catálogos de gravadoras que não tinham representantes no país.

O corredor da cerveja virou uma loja de discos e você precisa visitá-la mais

As bandas de hoje entenderam isso. O mercado de cerveja pela internet ainda é restrito no Brasil. Nos EUA, então, quase não existe. Lá, é preciso apresentar uma identidade e comprovar a idade numa loja física para comprar qualquer bebida alcoólica. Logo, lojas, bares e pubs são pontos de encontro. As bandas mais antigas, que viveram bastante do boca-a-boca, já entenderam como a coisa está funcionando. Agora só falta você achar sua loja e viver essas experiências.