ESPORTES

Vídeo mostra jogador negro da NFL sendo vítima de brutalidade policial

Author

Não é segredo que os Estados Unidos vivem um período delicado na questão racial após uma sequência de mortes de cidadãos negros causadas por policiais. Casos de abuso de autoridade vêm sendo relatados com mais frequência a cada dia, e jogadores de futebol americano (NFL) vêm se manifestando mais e mais. Colin Kaepernick, ex-San Francisco 49ers, foi o primeiro a se ajoelhar durante o hino nacional americano para protestar. Outros jogadores o acompanharam. A manifestação causou polêmica.

Vídeo mostra jogador negro da NFL sendo vítima de brutalidade policial

Agora, com a NFL de férias, foi a vez de Michael Bennett, jogador do Seattle Seahawks e campeão do Super Bowl, ser vítima de um abuso desses. Enquanto saía da luta entre Conor McGregor e Floyd Mayweather, em Las Vegas, Bennett foi parado e algemado sem motivo e com força desproporcional. Ele publicou um relato do incidente, e pouco depois o site TMZ divulgou as imagens.

Em um grande texto no Twitter, Bennett conta que enquanto obedecia as ordens de um policial e perguntava o que tinha feito de errado - sem resposta - ouviu o policial ameaçar atirar contra sua cabeça e teve medo de morrer. Só depois de ser levado a uma viatura de polícia e esperar um longo tempo é que Bennett foi solto. Foi quando os policiais perceberam que ele era um jogador famoso em vez de um criminoso. Veja imagens no vídeo abaixo:

Bennett afirmou já ter contratado um advogado de direitos civis e voltou a afirmar que protestar é a coisa certa. Por isso, vai continuar se sentando durante o hino americano que é executado antes de cada partida. “Porque igualdade não habita este país e não importa quanto dinheiro você tenha ou quanto você doa, quando você é visto como um negro, será sempre tratado dessa maneira.”

O tweet de Bennet já foi compartilhado mais de 220 mil vezes - inclusive por Kaepernick - e curtido por mais de 379 mil pessoas. A NFL divulgou um comunicado apoiando o atleta, enquanto a polícia de Las Vegas se defendo dizendo que os policiais tinham motivo para deter o jogador após tiros serem disparados dentro de um cassino.