Além de 654 mortos e milhares de desabrigados, Idai pode causar surto de cólera

Além de 654 mortos e milhares de desabrigados, Idai pode causar surto de cólera

Além de 654 mortos e milhares de desabrigados, Idai pode causar surto de cólera

Foto: Denis Onyodi/Red Cross /Handout via Reuters

O ciclone Idai passou pelo sudeste da África devastando tudo o que via pela frente. Até a noite de ontem foram contabilizados 654 mortos, e quase 2 milhões de pessoas foram afetadas pelo desastre. Sem água e assistência médica adequada, surto de cólera pode ocorrer nas próximas semanas.

O furacão passou por Malaui, Zimbábue e Moçambique, sendo esse último o mais afetado, tendo 446 mortos. A falta de condições econômicas no local só acentua a gravidade de tudo.

Infelizmente o número de mortos tende a ser ainda maior, já que mesmo hoje ainda é difícil acessar algumas áreas. Possivelmente há muitos mortos que ainda não foram encontrados.

Além do vento forte, o ciclone Idai trouxe muita chuva, ocorreram muitos deslizamentos e inundações em todos os locais afetados.

Para piorar ainda mais o atendimento às vítimas, não há eletricidade nem água potável em muitos lugares, além do mais, todos os serviços públicos como escolas e postos de saúde estão inativos.

A única ajuda que as pessoas estão tendo vem de entidades beneficentes. O acesso a comida também está dificultado, pois os preços dos alimentos subiram cerca de 600%.

Até o momento, o número de desaparecidos está na faixa de 200, porém ele deve aumentar bastante a medida que as comunicações comecem a voltar. No momento há dezenas de locais isolados e incomunicáveis. Essas informações foram passadas pelo CICR (Comitê Internacional da Cruz Vermelha).

Pela dificuldade de deslocamento, apenas agora a ajuda humanitária está chegando, mesmo assim isso não é suficiente para todas as pessoas. A prioridade é abastecer os postos com comida e água. Muitas das estradas estão interditadas.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) afirmou que o risco de ocorrer uma epidemia de doenças como cólera, tifo e sarampo é muito alto em todo o sudeste africano.

A possibilidade é tanta que as entidades responsáveis pela ajuda humanitária já estão se preparando para lidar com diversas doenças transmitidas pela água. A falta de saneamento básico e de água limpa faz com que esse risco seja ainda maior.

Todos os órgãos beneficentes afirmaram que após socorrer as vítimas, a principal medida é levar água e condições de higiene para que não ocorra uma tragédia ainda maior no continente.

A passagem do ciclone Idai destruiu diversos hospitais também, e pessoas já doentes estão sem tratamento. No local do desastre há uma grande incidência do vírus HIV, e no momento essas pessoas estão sem tratamento, sem falar que ele também pode ser transmitido mais facilmente por causa da crise.

O furacão arrastou milhares de vidas, e praticamente todas essas pessoas afetadas não possuem condições econômicas para reerguer essas casas.

Seja o primeiro a curtir!

Comentários

avatar

As pessoas também curtiram

Histórias relacionadas
1.Bolsonaro afirma que “Precisamos da mídia para que a democracia não se apague”
2.Você sabe por que a moeda brasileira se chama Real?
3.Marco Feliciano pede impeachment de Mourão por causa de curtida
4.Curiosos lugares exóticos pelo mundo para se arriscar, ou não.
5.Quais são os canais de TV mais famosos do mundo?
6.Os lugares mais curiosos do mundo
7.Após apelo do prefeito, Museu desiste de homenagear Bolsonaro em NY
8.Pai desmaia com o nascimento do filho e foto viraliza
9.Prefeito de Nova York diz que Bolsonaro é um “ser humano perigoso”
10.AVISO: Redator atleticano não veio trabalhar e não teremos artigo
500x500
500x500