CELEBRIDADES

Atriz expõe tema revoltante que será abordado em “O outro lado do paraíso”

Author
Atriz expõe tema revoltante que será abordado em “O outro lado do paraíso”

Olá gente querida!

Hoje, infelizmente, vamos falar sobre um tema inquietante, para dizer o mínimo. Na verdade, é sobre um dos piores assuntos a ser discutido, mas esse debate é imperativo e urgente: o abuso sexual de crianças e adolescentes.

Nos próximos capítulos da novela “O outro lado do paraíso”, a personagem Laura (Bella Piero) vai dar mais sinais de que foi abusada na infância pelo padrasto Vinícius (Flávio Tolezani).

Esse tipo de crime nos deixa com a amarga sensação de que não podemos proteger nossas crianças da maldade do mundo. A agressão sexual subverte o que existe de mais sagrado, pois rouba violentamente a inocência infantil e usurpa das crianças o direito de se sentirem seguras.

As marcas deixadas podem até desaparecer do corpo, mas dificilmente irão sumir da alma. As vítimas são oprimidas, ameaçadas, constrangidas e, muitas vezes, são levadas a crer que também são culpadas. São feridas que não cicatrizam e impactam na vida de quem foi abusado.

Atriz expõe tema revoltante que será abordado em “O outro lado do paraíso”

Bella Piero falou sobre a dor que a personagem carrega na novela, que afeta, principalmente, seu relacionamento com o médico Rafael (Igor Angelkorte). A intérprete de Laura reconheceu os ecos opressivos que rondam às vítimas desse tipo de violência.

“É difícil para quem sofreu abuso expor essa situação. São sentimentos de culpa, vergonha, medos... É um tema delicado, mas é preciso mostrar as atitudes machistas, a cultura do estupro, tudo o que é feito de forma abusiva, para darmos acolhimento e coragem às pessoas”, afirmou a Bella.

  • Abordagem na novela
Atriz expõe tema revoltante que será abordado em “O outro lado do paraíso”

Vinícius (Flávio Tolezani) é suspeito de abusar da enteada. Foto: Divulgação / TV Globo

Desde o início da novela, Walcyr Carrasco sinalizou que o tema seria tratado. Como na primeira fase, a personagem ainda era criança, o autor, aparentemente, resolveu não abordar abertamente a problemática da pedofilia.

Agora, com Laura já adulta, ele vai indicar que ela sofreu essa violência dentro de casa, que infelizmente, é uma realidade sombria.

No País, conforme guia elaborado pela BBC Brasil, 95% dos casos desse tipo de violência contra menores são praticados por pessoas conhecidas das crianças, e em 65% deles há participação de pessoas do próprio grupo familiar.

Esses dados são alarmantes. São crianças e adolescentes sendo machucados por pessoas conhecidas, por aqueles que deveriam resguardar a integridade física e emocional dessas meninas e meninos.

  • Pedofilia X Abuso Sexual

Aqui cabe um esclarecimento muito delicado. A diferença entre pedofilia e abuso sexual de crianças. O senso comum coloca os dois casos no mesmo saco.

Entretanto, existem diferenças. O psiquiatra Daniel Martins de Barros, coordenador médico do Núcleo de Psiquiatria Forense e Psicologia Jurídica (Nufor), explicou em sua coluna no Estadão, a diferença entre o que é crime e o que é transtorno.

“A rigor, pedofilia é um transtorno mental, no qual a pessoa tem fantasias sexualmente excitantes, impulsos sexuais ou comportamentos intensos e recorrentes envolvendo atividade sexual com criança ou crianças pré-púberes. Na maioria das vezes a pessoa sabe que esses pensamentos são inadequados, não os coloca em prática e ainda sofre por ter esses desejos que ela mesma não aceita. É diferente do sujeito que abusa da filha ou do sobrinho, que na maioria das vezes não tem qualquer transtorno mental, sendo enquadrado como um criminoso comum”, esclareceu o médico.

Aí está uma análise inquietante, não é mesmo? A vida toda pensamos que se tratava da mesma perversão. Em todo caso, não posso confiar numa pessoa cuja patologia é nutrir fantasias sexuais com crianças.

Felizmente, os dispositivos legais continuam punindo quem possui material que mostrem situações de exploração sexual de crianças e adolescentes e também quem comete a ação (abuso, estupro). Menos mal.

Mesmo assim, essa maldade parece crescer na sociedade. A única forma de proteger nossas crianças é ficar atento aos sinais que elas apresentam. Acredite, as vítimas sinalizam seu desconforto e constrangimento. Cabe a nós, adultos, interpretarmos esses sinais e defendermos a inocência dos nossos meninos e meninas.

Atriz expõe tema revoltante que será abordado em “O outro lado do paraíso”

Clara (Bianca Bin) e Laura (Bella Ciero) irão se tornar aliadas. Foto: Montagem / TV Globo

Voltando para a novela, tudo indica que Laura vai dar a volta por cima. Ela deve se aliar a Clara (Bianca Bin) e ajudá-la a desmascarar o padrasto. Vamos aguardar as cenas dos próximos capítulos. Essa vingança eu vou aplaudir! Lugar de abusador é na cadeia.

E você? O que acha do Walcyr Carrasco abordar esse assunto na novela? Deixe seu comentário e continua seguindo o perfil Bapho Cabeça.

Até a próxima!

Veja o artigo original no TopBuzz: