FUTEBOL

Árbitro de vídeo entrou em ação (e funcionou) na vitória da seleção brasileira

Author

Um dia antes de Brasil e Japão entrarem em campo para mais um amistoso, em Lille, na França, o técnico Tite se mostrou favorável ao árbitro de vídeo que seria utilizado durante a partida. E a novidade acabou sendo favorável à seleção brasileira na vitória por 3 a 1.

Árbitro de vídeo entrou em ação (e funcionou) na vitória da seleção brasileira

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

O uso da tecnologia no futebol é algo bastante polêmico. Já foi utilizado em várias ocasiões, como no Mundial de Clubes do ano passado, e nunca se chegou a um consenso sobre se é válido e positivo ou não. Analisar um replay de um impedimento, por exemplo, é mais fácil do que analisar um lance de falta, que pode ser subjetivo. E foi num pênalti que o recurso foi utilizado na França. Bem utilizado, no caso.

Em uma cobrança de escanteio logo aos 7 minutos, Fernandinho foi derrubado por Yoshida dentro da área. O árbitro Benoit Bastien nada viu e deixou o jogo seguir, mas ele logo foi chamado pelo árbitro de vídeo que apontou a falta. Pênalti que Neymar cobrou para fazer 1 a 0.

No segundo tempo, mais uma vez o juiz de campo foi chamado pelo árbitro que fica analisando os lances e replays. Em uma disputa de bola, Neymar fez falta no adversário, mas só recebeu o cartão amarelo por causa da análise em vídeo. 

Essa jogada já é um pouco mais polêmica, pois o árbitro de campo estava em cima do lance e achou melhor não aplicar cartão, o que nos leva à questão: até que ponto a interferência externa deve entrar em ação? E com essa ajuda do vídeo, o juiz não perde respeito em campo?

Após abrir três gols na primeira etapa (Marcelo e Gabriel Jesus também marcaram, enquanto Neymar ainda perdeu um pênalti), o Brasil acabou levando um gol no segundo tempo. Makino subiu mais que os zagueiros adversários para diminuir para o Japão. Mas podemos perceber no replay que o japonês deu uma puxada na camisa de Jamerson. Será que não seria hora de o árbitro de vídeo ter entrado em ação de novo ou será que ele olhou o lance e não achou nada? Eu não marcaria falta e confirmaria gol do Japão, mas é uma opinião pessoal.

Como dissemos, algumas jogadas são subjetivas e mais difíceis de marcar mesmo com a ajuda da TV. Mas, no geral, a tecnologia foi bem usada neste amistoso. Só precisamos ver mais vezes para se acostumar com essa interferência durante a partida. Se for sempre positiva, a tecnologia veio mesmo para ficar, e com justiça!

#futebol #esportes #Brasil #Japão #amistoso #replay #tecnologia