COMPORTAMENTO

Na China, homens estão indo à escola para aprender a namorar

Author

Você anda ruim de xavecos, quer aprender como ter uma boa conversa e saber qual a melhor foto para colocar como perfil em um site de relacionamentos? Na China, há escolas que ajudam os homens a fazer isso e muito mais, segundo mostra matéria do The New York Times.

Pelo jeito na China os homens não são bons em relacionamentos. E, para piorar a situação, há mais homens que mulheres no país. Para se ter uma ideia, um aplicativo concorrente do Tinder, o WeCast, chegou a mostrar que a foto de uma mulher atraente ganhou 7 mil curtidas dos pretendentes. É um número exagerado, mas há uma explicação.

Em 2016, havia cerca de 33,6 milhões de homens a mais do que mulheres na China, de acordo com o governo, que acaba apoiando esse tipo de escola justamente para dar uma força aos homens. Existe um temor que se a união entre os sexos não for estimulada podem aumentar as taxas de tráfico humano e crime sexual, por exemplo. 

Veja o caso de Zhang Zhenxiao, de 27 anos, que nunca beijou uma mulher e tinha medo de se relacionar até se inscrever na escola 'Fall in Love Emotional Education'.  "Há muitas pessoas que não têm a capacidade de ter um relacionamento", disse ele, que se matriculou em um curso de três dias em outubro, para o jornal americano. "Muitas vezes, não é que haja algo de errado conosco. É que não sabemos a que detalhes prestar atenção."

O preço das aulas varia de US$ 45 a US$ 3 mil, dependendo do tempo do curso. Zhang Mindong, um dos fundadores da 'Fall in Love Emotional Education', diz que cerca de 90% cento dos diplomados acabam com namoradas.

Após aprenderem a se vestir, a tirar boas selfies, a conversar e como tratar bem uma mulher, esses homens solteiros praticamente têm a obrigação de arrumar alguém. Se não vão ter que fazer o curso tudo de novo.

Na China, homens estão indo à escola para aprender a namorar

Foto: New York Times

#china #namoro #relacionamento #comportamento