ESPORTES

Veteranos, campeões, craques... e encostados e sem espaço no nosso futebol

Author

Dida; Leo Moura, Lugano, Réver e Zé Roberto; Cristian, Elano, Danilo e Ronaldinho Gaúcho; Emerson Sheik e Magno Alves. Daria um grande time para o Brasileirão. Eles são campeões, já fizeram muita coisa no futebol e hoje estão encostados num clube ou numa academia ainda buscando um fim de carreira digno. É triste ver nomes como o de Elano, Cristian, Zé Roberto, Dida, entre outros, num banco de reservas e quase sem espaço nos clubes atuais.

Dá dó ver Elano na reserva do Santos. O experiente meia de 34 anos, que tempos atrás era peça imprescindível até na seleção brasileira, agora só atua quando Dorival Jr opta pela equipe reserva ou entrando nos minutos finais.

Veteranos, campeões, craques... e encostados e sem espaço no nosso futebol

Na maioria dos jogos fica de prosa no banco de reservas com jogadores mais jovens. Será que não teria mais lenha para queimar em outro clube?

Dida foi campeão do mundo em 2002, disputou Copas e, aos 42 anos, viu o Inter não renovar seu contrato. Ele não aceita a aposentadoria forçada e treina sozinho na busca de novo lar.

Veteranos, campeões, craques... e encostados e sem espaço no nosso futebol

Ao mesmo tempo, trabalha para se tornar um treinador. Um grande campeão implorando por um emprego.

Veja outros veteranos em xeque.

Leo Moura - Santa Cruz

O grande lateral-direito da história do Flamengo tem um fim de carreira triste. Desprezado no Rio, foi para a Índia, onde não se firmou, voltou para o Metropolitano, de Santa Catarina, onde rescindiu sem estrear para brilhar no Santa Cruz. No Recife, não se encaixou na lateral (Vitor é o titular) e briga para jogar no meio. Está no banco, mas o técnico Milton Mendes diz que conta com seu futebol.

Veteranos, campeões, craques... e encostados e sem espaço no nosso futebol

Lugano - São Paulo

Voltou como grande contratação da temporada, mas lento e falhando em diversos gols, El Díos, como é chamado pelos são-paulinos, foi para o banco.

Veteranos, campeões, craques... e encostados e sem espaço no nosso futebol

Réver - Internacional

Zagueiro de 31 anos defende as cores do Internacional desde o início de 2015. Mas, se brilhou no Atlético-MG, no Colorado a história é bem diferente. Foram falhas e mais falhas e hoje ele convive com a reserva ou fora até do banco em alguns jogos. O Inter o ofereceu para muitos clubes, porém não houve acerto e ele anda encostado.

Veteranos, campeões, craques... e encostados e sem espaço no nosso futebol

Cristian - Corinthians

Aos 32 anos, ainda com fôlego para defender um clube, o volante está encostado no Corinthians. É a última opção da posição de Tite e até quando o time reserva é solicitado, ele não aparece entre os escolhidos. Raramente fica na reserva e até quando atua, é por míseros minutos.

Veteranos, campeões, craques... e encostados e sem espaço no nosso futebol

Zé Roberto - Palmeiras

O meio-campista do Palmeiras já anunciou que no fim da temporada pendura as chuteiras. Até lá, tentará recuperar a posição de titular e ainda buscará jogar mais. Atualmente perdeu vaga até na ala para Egídio.

Veteranos, campeões, craques... e encostados e sem espaço no nosso futebol

Danilo - Corinthians

Campeão de tudo, pé quente nos clássicos e ídolo dos corintianos, o meia descartou proposta do Botafogo para ficar no Corinthians. Até começou o ano como titular, mas por outra temporada já amarga o banco e joga pouco.

Veteranos, campeões, craques... e encostados e sem espaço no nosso futebol

Ronaldinho Gaúcho - sem clube

O craque anda em baixa e vários meses após ser chutado pelo Fluminense, anda fazendo apenas jogos de exibição. Aos 36 anos, o habilidoso jogador não consegue mais acertar um novo contrato. Nesta semana ouviu um belo 'não' do Corinthians sobre a possibilidade de atuar no campeão brasileiro.

Veteranos, campeões, craques... e encostados e sem espaço no nosso futebol

Emerson - Flamengo

O Sheik já fez gol decisivo de Brasileirão e de Libertadores, mas aos 38 anos, anda em baixa e foi parar na reserva do Rubro-Negro.

Veteranos, campeões, craques... e encostados e sem espaço no nosso futebol

Magno Alves - Fluminense

Goleador por onde passou o Magnata, aos 40 anos, agora tem de se contentar em jogar só quando Fred se machuca e, mesmo assim, anda perdendo a concorrência para a molecada.

Veteranos, campeões, craques... e encostados e sem espaço no nosso futebol