FUTEBOL

Aguirre já fracassou duas vezes no Brasil e pode repetir insucesso no São Paulo

Author
Aguirre já fracassou duas vezes no Brasil e pode repetir insucesso no São Paulo

O São Paulo parece não aprender com os erros dos últimos anos e novamente faz uma aposta de risco, com enorme chance de dar errado. A contratação do técnico uruguaio Diego Aguirre, que já fracassou em dois clubes brasileiros recentemente, fez muita gente torcer o nariz no clube, torcedores não aprovaram a chegada e a chance de novo insucesso paira no ar. Não duvido que antes mesmo do fim do contrato de somente 10 meses - até dezembro, o São Paulo faça nova troca. Todas as apostas em treinadores sem nome de peso para assumir uma camisa do quilate da são-paulina viraram fiasco nos últimos oito anos. Vide Doriva, ex-jogador do clube, que suportou apenas sete jogos.

----- Esse é só um lado da história. Veja outro:

----- Nada de preconceito contra a nacionalidade de Aguirre, uruguaio dos bons na época de jogador, mas ele pouco conhece dos jogadores brasileiros justamente por não viver por aqui. A indicação de reforços será algo que jogará contra ele. Sua visão do nosso mercado é escassa. Sua metodologia de trabalho também não é muita aceitada por terras tupiniquins. O técnico adora utilizar todo o elenco e, a cada rodada, leva um time diferente a campo. O famoso rodízio custou sem emprego no Inter e no Atlético-MG, no qual tinha um elenco recheado de estrelas e não conseguiu montar um TIME.

Repetir a estratégia no Morumbi seria um tiro no pé, já que o grupo tricolor já não é dos melhores e ele ainda terá de conviver com jogadores que NÃO ACEITAM ficar na reserva de garotos, caso de Diego Souza, Nenê e Cueca, no jargão do futebol, macacos velhos que adoram ser "o cara" da equipe. Dorival Júnior caiu por barrar alguns desses jogadores e por não ousar. Diego Aguirre também não é o típico treinador de inventar na hora de armar o time na busca de um resultado positivo. Suas substituições costumam ser "comuns", outro ponto fraco. Joga contra Aguirre a falta de tempo para armar o time. Ele costuma demorar um pouco mais que o habitual para deixar a equipe como gosta, mas chega já com duelos decisivos no Paulistão e na Copa do Brasil. Terá de se desdobrar para acalmar a irritada e desgostosa torcida. Aposto em mais sofrimento.