FUTEBOL

Cristiane deu adeus à seleção em apoio a técnica demitida. Erra ao revelar volta

Author

Foi muito bonita a manifestação das jogadoras da seleção brasileira apoiando a técnica Emily Lima, demitida com pouco tempo de serviço e sem explicações. Muitas se aposentaram da equipe nacional contrárias a atitude dos dirigentes, entre elas Cristiane, que fez vídeos "detonando" o amadorismo no futebol feminino. Pois bem, aquela que seria o símbolo maior contra as injustiças, agora erra ao se render a convite do novo treinador e anunciar retorno à seleção. Palavras são para serem cumpridas. Apoio tem de ser até o fim. Mas Cristiane parece não ter pensado nisso e como o caso caiu no "esquecimento", ela resolveu voltar a vestir a camisa da seleção brasileira apenas cinco meses após o "adeus". Bom para quem ama futebol, pois é uma craque. Ótimo para os dirigentes, que "calam" uma até então "inimiga". Péssimo para quem acha que podemos fazer algo diferente pelo bem no nosso esporte e contrário as sacanagens. Cristiane certamente perderá moral com algumas companheiras. Calasse, então, como fez a também estrela Marta, que evitou se comprometer. A atacante comprou a bronca de Emily e agora a apunhala pelas costas, aceitando convite de Vadão, o "substituto". "Mais uma nova etapa na vida. Na carreira. No prazer de fazer o que eu amo que é jogar futebol. Fui procurada pelo professor Vadão, que me fez um apelo em nome da comissão técnica para eu voltar a servir a seleção brasileira. Foi um pedido para eu voltar. Este não foi o único. Muitas pessoas me procuraram e pediram pela minha volta", postou a jogadora, já treinando com a seleção. Injustificável, mesmo ela garantindo que será a "porta-voz das meninas".

Cristiane deu adeus à seleção em apoio a técnica demitida. Erra ao revelar volta

Mais uma nova etapa na vida. Na carreira. No prazer de fazer o que eu amo que é jogar futebol. Fui procurada pelo professor Vadão, que me fez um apelo em nome da comissão técnica para eu voltar a servir a Seleção Brasileira. Foi um pedido para eu voltar. Este não foi o único. Muitas pessoas me procuraram e pediram pela minha volta. O motivo da minha saída foi um só: tentar ajudar a modalidade de outra maneira, pq as meninas não estavam sendo ouvidas. O que me foi passado durante esse tempo fora é que ao menos uma mulher foi contratada e está trabalhando em cada categoria de base. Colocaram uma mulher no grupo principal. Teremos reuniões com o departamento financeiro, para que seja explicado para todas as meninas a questão do direito de imagem. É suficiente? Não. É pouco, mas estão fazendo. Me parece um bom começo. Hoje não podemos falar que não estão fazendo nada, ao menos estão se movimentando. Estou aqui para sentir se realmente tudo isso está acontecendo. Quero ver as mudanças antes de tomar uma decisão. Julgada eu vou ser, assim como fui quando tomei a decisão de sair no ano passado. Jamais vamos agradar a todos. Mas, se eu realmente voltar, não estarei olhando por mim. Mais uma vez estarei olhando por todas as meninas. Pela modalidade. Vou ajudar a dar mais voz ao nosso grupo. Acredito que terei muito mais pessoas felizes com a minha volta do que decepcionadas. O que posso dizer é que a minha missão continua e já pedimos uma reunião com o presidente atual. Tudo que eu fiz, faço e ainda vou fazer nunca foi por mim. Mas por toda a modalidade. Vou continuar sendo a Cristiane de sempre, buscando dia após dia o melhor para o nosso grupo. Agradeço a minha família sempre pelo apoio, aos meus fãs, às crianças e principalmente às minhas amigas e companheiras de Seleção, que são e serão as mais impactadas com o maior desenvolvimento da nossa modalidade.

A post shared by @ crisrozeira on