FUTEBOL

Direção do Botafogo atesta incompetência ao demitir técnico após apenas 5 jogos

Author

Marcos Paquetá não é mais o técnico do Botafogo. Após somente cinco jogos, a diretoria do clube atestou sua incompetência ao querer inventar e apostar num treinador totalmente sem conhecimentos do futebol brasileiro atual e optou por demiti-lo.

Com a ida de Alberto Valentim para o mundo árabe, o Botafogo queria agitar o mercado e viu em Paquetá o "nome certo" para chamar a atenção. E foi o que aconteceu. Mas não da maneira correta.

Logo de cara a rejeição enorme dos botafoguenses ficou clara. Como um clube necessitando de resultados positivos imediatos acerta com um técnico acostumado a trabalhos com categorias de base em solo nacional e que havia passado as últimas 14 temporadas perambulando por times árabes, egípcios e indianos? Pegou, ainda, a idade avançada. O torcedor não gostou nada de ver um veterano de 59 anos sem currículo no país assumir seu clube.

Óbvio que não daria certo. E nem era culpa de Paquetá, campeão com as seleções sub-17 e sub-20 e com trabalho de destaque nas arábias. Mas no Brasil, ele mostrou que pouco (ou nada) sabia com tanto tempo de distância. E antes mesmo de decorar o nome dos novos comandados, já ganhou um pé na bunda.

Foram 35 dias de trabalho, cinco jogos disputados, quatro derrotas (a última diante do Nacional-PAR pela Copa Sul-Americana) e a certeza que dirigir um clube no Brasil é tarefa complicada para "aventureiros". Ou conhece bem ou vai naufragar. Marcos Paquetá que o diga.

O Botafogo perdeu tempo com a aposta, caiu em jogos importantes e agora se rende ao mercado interno e busca acerto com Zé Ricardo, técnico com trabalho até bom, mas nos rivais Flamengo e Vasco. Nova rejeição? Outro investimento errado?

Direção do Botafogo atesta incompetência ao demitir técnico após apenas 5 jogos