FUTEBOL

França supera a Austrália em dia de inédito uso do árbitro de vídeo

Author

A tecnologia finalmente chegou a uma Copa do Mundo. Pela primeira vez na história, o árbitro de vídeo (VAR) entrou em ação para mudar a decisão de campo num lance da principal competição do futebol. A revisão anotou uma penalidade para a favorita França, que apesar de sofrer mais que o esperado, superou a defensiva Austrália em triunfo apertado por 2 a 1.

França supera a Austrália em dia de inédito uso do árbitro de vídeo

O lance que chamou a atenção do planeta aconteceu aos 9 minutos da etapa final. O uruguaio Andres Cunha nada havia marcado no carrinho de Risdon em Griezmann, mas poucos segundos depois resolveu apelar ao VAR para revisão da jogada e mudou sua decisão.

Ao ver o replay, o pênalti foi marcado e o defensor ainda acabou punido com o cartão amarelo. O camisa 7, confirmado para mais uma temporada no Atlético de Madrid, bateu firme e abriu o placar, aos 12. A questão era, a partir dali, a França mostraria todo seu poder ofensivo?

Os franceses entraram em campo com um ataque leve e poderoso, formado pelo experiente Griezmann ao lado dos meninos MBappé e Dembélé e promessa de muitos gols. Os Bleus até começaram elétricos, com chute perigoso do jogador do PSG e, depois, de Griezmann. Foi só.

Depois de um início assustado, os sufocados australianos aos poucos se encontraram em campo e conseguiram segurar o poderoso rival com uma defesa bem postada e aposta no jogo aéreo. Num deles também colocou Lloris para trabalhar. Confesso que esperava mais dos primeiros 45 minutos na Arena Kazan.

Primeiro tempo gelado, a promessa era de temperatura maior na fase final. E ela esquentou justamente com a ajuda do VAR. Quase ninguém em campo estava esperando que o placar fosse aberto apenas por causa da tecnologia. Griezmann nada tem com isso e fez seus torcedores soltarem o grito com cobrança firme do pênalti.

A festa francesa, entretanto, durou apenas três minutos, quando Umtiti mostrou infantilidade ao cortar um cruzamento com a mão. O árbitro titubeou, mas possivelmente alertado pelos companheiros de arbitragem, apontou a marca da cal. Jedinak bateu o pênalti com segurança e igualou o jogo.

Decepcionado com seu setor ofensivo, o técnico Didier Deschamps trocou seus atacantes Dembélé e Griezmann optando pelo experiência de Giroud e a velocidade de Fekir e acabou premiado. O centroavante tocou para Pogba, que deu um biquinho na bola aos 36, ela pegou efeito estranho, bateu no travessão e quicou dentro do gol. Novamente com o auxílio da tecnologia, o gol foi confirmado - o relógio do árbitro apita quando a bola cruza a linha.

A França confirmou seu favoritismo e ganhou. Mas a impressão deixada na estreia e a de que tem de melhorar muito se quiser brigar por igual com os demais favoritos. Faltaram mobilidade e mais ousadia.

França supera a Austrália em dia de inédito uso do árbitro de vídeo
França supera a Austrália em dia de inédito uso do árbitro de vídeo
França supera a Austrália em dia de inédito uso do árbitro de vídeo