FUTEBOL

Irã se defende o tempo todo e é premiado com gol contra para bater Marrocos

Author

Cruzamento na área e Bouhaddouz dá um peixinho para marcar um belo gol de cabeça. Só faltou falar para o zagueiro marroquino que ele jogou contra o patrimônio. Num jogo em que não teve vergonha de apenas se defender, o Irã ganhou de presente sua segunda vitória apenas em 13 jogos disputados em Copa do Mundo. Mais correto seria o jogo não sair do zero, uma boa nota para a apresentação das duas equipes.

Irã se defende o tempo todo e é premiado com gol contra para bater Marrocos

Além desse injusto 1 a 0 diante do Marrocos, a seleção do Oriente Médio havia festejado um triunfo diante dos Estados Unidos em 1998. Do mais, surras e mais surras. Os jogadores festejaram muito o resultado, porém, devem se contentar apenas com ele.

Quem mais procurou o gol durante os 90 minutos, o Marrocos acabou castigado no único jogo no qual teria chances de pontuar numa chave com as poderosas seleções da Espanha e de Portugal. Os azarões não devem ver a cor da bola diante dos gigantes.

Marrocos x Irã foi uma verdadeira lição para a FIFA repensar suas teorias. A entidade já anunciou que a Copa do Mundo de 2026 na América do Norte vai contar com 48 seleções. Tenta aumentar o número de participantes já para a competição de 2022, fazendo lobby com as confederações e diminuindo a qualidade de seu principal produto.

Óbvio que uma competição mundial tem de reunir representantes de todos os continentes, mas se Marrocos é apontado como o melhor da África e o Irã, o poderoso da Ásia, imagine o nível dos demais representantes?

Foi sofrível o jogo de abertura do Grupo B, no qual Espanha e Portugal devem passar com sobras. E nem tem como torcermos para os azarões. Eles, com todo respeito, são bem fraquinhos. Vimos mais pancadas e jogadores deixando o campo machucado do que chances de gols.

O Marrocos foi melhor, mas pouco assustou. Um chute forte de Ziyach espalmado pelo goleiro e mais quase nada no alvo. Num lance perigoso, por exemplo, seu atacante recebeu livre na área, armou o voleio e mandou quase para lateral. E o que falar no furo incrível após escanteio ensaiado?

Do lado iraniano, a melhor oportunidade caiu nos pés do astro Aznou, goleador do Campeonato Holandês. Ele partiu sozinho, apanhou da bola e todo cambaleante chutou em cima do goleiro. Do mais, o Irã apostava na parede defensiva para não dar adeus à Copa sem nenhum pontinho. Estava satisfeito com a igualdade e ainda recebeu a vitória de presente. Coisas do futebol.

Irã se defende o tempo todo e é premiado com gol contra para bater Marrocos