ESPORTES

Jaqueline dá adeus à seleção brasileira de vôlei

Author

Na hora do aperto, o narrador já pedia: bola para Jaqueline que a ponteira decide. E assim acontecia e lá estavam as meninas do Brasil comemorando um ponto, vitória no set ou conquista de título. Por 18 anos a jogadora nos encantou com sua impulsão, força e habilidade nas cortadas, nos passes precisos ou defendendo. Desde a última sexta-feira a seleção brasileira de vôlei e os fãs da modalidade estão órfãos com o anúncio da aposentadoria da bicampeã olímpica.

Jaqueline ainda pode aparecer em algum clube, mas não a veremos mais vestindo a camisa verde amarela. Depois de tantas viagens longas e sacrifícios, ela vai se dedicar a outra carreira: a de mãe.

A Copa das Nações foi a última disputa oficial da brilhante carreira e ela agora dedicará todo o tempo para o marido Murilo, também jogador de vôlei, e ao filhão Arthur.

"Amores, após pensar muito, decidi me dedicar neste momento a novos projetos, e à minha família. Quero acompanhar o meu pequeno. Foram 18 anos na seleção brasileira de muito amor e dedicação, que me renderam muitas histórias, alegrias e amizades que levarei para toda a vida", postou, sem deixar de agradecer a todos que a ajudaram.

Na verdade, nós é que temos de bater palmas de pé, tirar o chapéu para essa vencedora. Além de bicampeã olímpica (Pequim/2008 e Londres/2012), são cinco conquistas de Grand Prix e outras três medalhas (duas pratas e um bronze) em Mundiais. Jaqueline sai de cena aos 34 anos com a certeza que fez muito bem feito o seu trabalho. E só temos a agradecer.

Jaqueline dá adeus à seleção brasileira de vôlei
Jaqueline dá adeus à seleção brasileira de vôlei