FUTEBOL

Brasil nunca teve facilidade diante da Suíça. Quarteto ofensivo mudará história?

Author

A seleção brasileira costuma levar (boa) vantagem em todos os seus confrontos, mas se tem um adversário "encardido" no caminho verde e amarelo ele atende pelo nome de Suíça. Sim, o rival canarinho da estreia na Copa do Mundo sempre complicou as partidas e a prova vem no histórico. Para evitar um novo sofrimento, Tite aposta em seu quarteto ofensivo que vem encantando nos últimos jogos.

Brasil nunca teve facilidade diante da Suíça. Quarteto ofensivo mudará história?

Com a confirmação de Philippe Coutinho, Willian, Gabriel Jesus e Neymar, Tite mostra que "está com a torcida" e vai para cima dos suíços. Quer ganhar e encantar.

Furar a forte defesa dos europeus, contudo, não costuma ser nada fácil. Foram oito encontros na história, sete amistosos e um jogo de Copa do Mundo, é apenas 10 gols marcados pelo Brasil, que foi vazado oito vezes.

O equilíbrio é gigante quando se enfrentam Brasil x Suíça. São três vitórias brasileiras e duas dos suíços, além de três empates. Jamais um jogo teve mais de dois gols anotados por um dos dois rivais, mas o bom é que jamais houve um 0 a 0. No último encontro, em 2013, deu Suíça, por 1 a 0, gol contra de Daniel Alves.

Que nosso quarteto ofensivo esteja tão inspirado quanto no jogo contra a Suíça e, pela primeira vez na história, facilite um jogo diante da muralha suíça.

Confira os confrontos:

Suíça 1 x 0 Brasil - Basel (2013)

Suíça 1 x 2 Brasil - Basel (2006)

Suíça 1 x 0 Brasil - Basel (1989)

Suíça 1 x 2 Brasil - Basel (1983)

Brasil 1 x 1 Suíça - Recife (1982)

Brasil 2 x 0 Suíça - Cuiabá (1980)

Suíça 1 x 1 Brasil - Zurique (1956)

Brasil 2 x 2 Suíça - São Paulo (Copa do Mundo de 1950)