FUTEBOL

Ele não botou fé na sua seleção, defendeu outro país para ir à Copa de 2018 e...

Author

Aron Johannsson sempre sonhou jogar uma Copa do Mundo e hoje podia estar comemorando a vaga para a Rússia/2018. Podia, não tivesse feito ele a "pior escolha" da carreira. O atacante não botou fé em sua seleção, defendeu outro país nas eliminatórias e agora verá o Mundial pela televisão.

História triste e que serve de alerta para todo jogador. NUNCA devemos desprezar ou desacreditar da nossa nação, seja ela menor ou mais frágil. Por vezes a garra e determinação quebram barreiras.

Johannsson que o diga. Filho de pais islandeses, ele nasceu no Alabama e, pela dupla cidadania, poderia escolher qual a seleção escolher para defender.

O jogador do Werder Bremen começou defendendo as categorias de base da Islândia em 2011. Jogou na sub-21 até 2012. Após a Copa de 2014, ao receber um convite do técnico Jurgen Klinsmann, não teve dúvidas em aceitar. "Minhas chances de se classificar para uma Copa do Mundo serão muito maiores com os Estados Unidos", disse na época.

Todos falariam o mesmo. Quem poderia imaginar os EUA fora do Mundial da Rússia? Quem apostaria na Islândia classificada? Foi justamente o que aconteceu e agora o "infeliz" Johannsson vai ter de esperar um pouco mais para concretizar seu sonho por causa da escolha "equivocada". Ao menos terá a Islândia para torcer na Copa do Mundo.

Ele não botou fé na sua seleção, defendeu outro país para ir à Copa de 2018 e...

Foto: Divulgação/MLSsoccer