FUTEBOL

Messi se esconde, Argentina leva surra da garantida Croácia e depende de milagre

Author

Dois jogos, apenas um ponto e a Argentina vive situação desesperadora na Copa do Mundo da Rússia. Após 16 anos, os hermanos podem novamente dar adeus ainda na primeira fase. Com bobagem do goleiro Caballero, Messi escondido o jogo todo, a seleção entregou a derrota de bandeja para a Croácia, que se classificou com impiedosa surra de 3 a 0. Agora a vice campeã de 2014 não depende mais apenas de suas forças e precisará de um milagre.

Messi se esconde, Argentina leva surra da garantida Croácia e depende de milagre

Caso a Islândia some ao menos um ponto diante da Nigéria nesta quarta-feira, os argentinos não apenas terão de ganhar bem dos africanos no jogo final, como precisarão que os algozes croatas não sejam batidos na rodada decisiva. Levaria a decisão para o saldo de gols.

Desesperado após empate com a Islândia na estreia e as críticas pesadas de todo lado, sobretudo do astro Maradona, Jorge Sampaoli resolveu mexer bastante na equipe titular. Barrou Di Maria, titular absoluto desde 2014 e ainda fez mais duas mudanças para deixar Messi à vontade.

Toda mexida, a casa argentina quase cai com apenas quatro minutos. Perisic bateu cruzado e Caballero desviou para escanteio. Bem entrosada, a Croácia tratava a bola com mais carinho, enquanto os hermanos eram mais transpiração, coração na ponta da chuteira, mas uma defesa toda atrapalhada, louca para "entregar" desde a etapa inicial.

Precisando ganhar de qualquer jeito, a Argentina sofria diante da forte marcação. Messi não dava as caras. Seus maiores lances de perigo, por exemplo, foram num cruzamento de Acuña que mudou de rota e carimbou o travessão e, depois, com Pérez mandando para fora uma sobra açucarada na entrada da área. O olhar incrédulo do jogador resumiu bem o tamanho da chance desperdiçada.

O erro do meia poderia ter sido castigado em alta velocidade. No ataque seguinte, o goleador Mandzukić recebeu sozinho e teve a capacidade, ou falta de competência, de cabecear para fora. O lá e cá empolgava. E até o crítico ferrenho Maradona, animadíssimo, tentava incentivar o time rumo à vitória exibindo camisa de Messi. Mas por onde andas o craque?

E se o drama argentino era grande com a igualdade no placar, virou gigante depois de o goleiro Caballero errar numa recuada de bola e dar o gol de graça para Rebic aos 8 da fase final. Sampaoli esfregou as mãos no rosto e saiu fazendo substituições: colocou Higuaín e Pavon e parecia pedir aos céus por uma reação.

Viu o goleiro croata salvar e bola de Mandzukić balançar a rede pelo lado de fora. O drama era tanto que até o desafeto de Messi, Dybala, foi requisitado. E logo no cartão de visitas mandou uma bola na lua.

Messi só aparecia para reclamar e até querer briga quando mais uma vez a Argentina mostrou que era "uma mãe" no jogo. Perdeu bola no meio e viu Modric, rival na Espanha de La Pulga ao defender o Real Madrid chamar Otamendi para bailar e bater forte, com curva, para ampliar para 2 a 0. Cabia mais e Rakitic "fechou o caixão" nos acréscimos num contragolpe após os hermanos perderem chance clara.

Messi se esconde, Argentina leva surra da garantida Croácia e depende de milagre
Messi se esconde, Argentina leva surra da garantida Croácia e depende de milagre
Messi se esconde, Argentina leva surra da garantida Croácia e depende de milagre