FUTEBOL

Rodriguinho no Egito prova que o Corinthians está louco para ser rebaixado

Author

O Corinthians forte de 2017 não existe mais. Desfez-se em sete meses. Pior,  vem virando presa fácil aos rivais. Foi massacrado pelo Botafogo, apesar da vitória, e agora leva surra e "olé" do São Paulo sem impor dificuldades. Além de apanhar feio, se despediu do meia Rodriguinho, a caminho do "poderoso" futebol do Egito, numa prova clara que os dirigentes estão loucos para rebaixar o clube mais uma vez.

Andrés Sanchez era o presidente na queda em 2007 e falou que jamais o torcedor sentiria aquela dor. Mas está tão obcecado em quitar dívidas em 2018 que anda vendendo peças importantes a preço de bananas. É inadmissível negociar um cara decisivo como Rodriguinho por R$ 23 milhões, com apenas metade para o clube. Parece querer, sim, fazer o corintiano sofrer.

Mas, o dirigente ogro prefere ironizar jornalistas e rivais com tiradinhas sem graça e total falta de respeito, alegando que não há desmanche no clube. Tampouco enfraquecimento. Saíram "somente" oito jogadores, os imprescindíveis Balbuena, Rodriguinho, Sidcley e Maycon. Peças vitais no time titular. Kazim, Léo Príncipe, Júnior Dutra e Juninho Capixaba (investiu uma bolada no lateral) saem sem deixar saudades. Além do técnico Fábio Carille e parte da comissão técnica. O grupo que já não era maravilhoso, fica ainda mais frágil, apesar de Andrés garantir que é forte.

A batata quente está na mão do inexperiente Osmar Loss, um belo bode expiatório dos dirigentes em caso de fracasso futuro. Na verdade, Andrés é quem parece "acabar" com o time e não está ligando para o que os outros pensam.

Cheio de si, o dirigente disse ter recusado duas propostas anteriores por Rodriguinho. Se esforçasse para recusar outra. O valor é baixo e duvido que o meia quisesse jogar no egípcio Pyramids. Também falou que segurou Mateus Vital, procurado pelo Shakhtar Donetsk. Certamente, se perguntasse ao torcedor, melhor seria vender o jovem do que o "cara" do time. Não dá para dntender, mas como não há mais transparência na atual gestão...

Rodriguinho também mostrou hipocrisia na mensagem do adeus. Se revelou que  sonha em voltar, porque não fez esforço para permanecer? Quis fazer média.

De certo: a cada jogo um titular sai, o grupo enfraquece, o entrosamento some, os resultados são ruins e a água vai batendo no pescoço. A posição no meio da tabela é mentirosa, o futebol é de rebaixado e não vejo Liz no fim do túnel. Que a torcida abrace ainda mais o time e o carregue aos 45 pontos. Não será fácil.

E há quem diga que Fagner, Pedrinho e Romero também têm forte assédio de fora do país. Como a janela só fechar em 32 de agosto, melhor o corintiano rezar bastante.

Rodriguinho no Egito prova que o Corinthians está louco para ser rebaixado