TV

Vergonha de protagonizar prostituta? "Melhor que um político", diz Deborah Secco

Author

A atriz Deborah Secco lacrou na resposta e deu um belo de um tapa na cara da sociedade que adora julgar e difamar as pessoas por aparência ou mesmo papéis interpretados por artistas. Ao falar de machismo, ela reconheceu que muitos a chamam de "piranha ou vagabunda" e ela disse preferir encarnar uma prostituta do que um político.

A resposta serviu para provar o quanto nossos engravatados de Brasília não têm o mínimo de respaldo ou confiança da população, tamanha as falcatruas descobertas a cada dia pela classe.

"Infelizmente, fico muito triste quando dou algumas declarações e vejo a maioria das mulheres comentando: ‘vagabunda, piranha’. Me julgam pelos papéis que fiz e sempre falo que, graças a Deus, eu não tenho vergonha nenhuma de ter feito uma prostituta. Eu teria mais vergonha de fazer políticos no momento", disparou Deborah Secco, ao responder uma jovem da plateia do Altas Horas, no sábado.

A atriz protagonizou o filme de Bruna Surfistinha no cinema, certamente a garota de programa mais popular do país, e na novela Segundo Sol é Karola, que também já vendeu o corpo no passado. O povo confunde seu trabalho com a vida real e costuma compará-la com os personagens.

Ao se defender, ela acabou atirando nos políticos, que hoje realmente nos envergonham com tanto roubo e discaratismo.

Vergonha de protagonizar prostituta? "Melhor que um político", diz Deborah Secco