MULHERES

A geração do unfollow

Author

Deixar de seguir parece ser a regra do momento. 

Não gostei do que falou: unfollow.
Discordo de você: unfollow.
Me ofendeu: unfollow.

A geração do unfollow

Já falamos aqui sobre "As Bolhas da Maternidade" e o tema "bolhas" está na boca de 9 entre 10 influenciadores digitais ou estudiosos da área.

A minha questão é muito mais sobre que sociedade estamos cultivando do que qualquer outra discussão possível.

Se você simplesmente apaga, deleta, bloqueia ou deixa de seguir alguém pelas razões acima você está sinalizando o que?

Vai lá assistir Black Mirror e depois me conta... (aliás essa dica foi da Cynthia, minha amiga. Episódio NATAL da segunda temporada).

Se por um lado tem a turma que dá unfollow por preguiça de argumentar, ou por não querer enfrentar um problema, do outro lado temos pessoas que querem impor, a qualquer custo, suas vontades e opiniões.

A real? As relações estão doentes!

As pessoas não sabem mais lidar com diversidade de qualquer ordem. Não é um contra-senso?

Num mundo de diversidades estamos cada vez mais polarizados. 

Se você não pensa como eu, eu deixo de te seguir. Argumentar pra que? Conversar pra que? Entender o ponto de vista do outro? Nem pensar.

A gente pode (e DEVE) discordar, ter opiniões diferentes. Mas acima de tudo é preciso ter respeito e VALORIZAR as relações e as diversidades.

Eu respeito muito amigos que pensam diferente de mim. Muitas vezes eles sinalizam uma outra forma de pensar e, se não me faz mudar de opinião, pelo menos me faz ver o outro lado.

Se a gente continuar dando unfollow a cada discordância vamos viver em que mundo? Estamos mostrando que mundo para os nossos filhos?

Parece até aquela máxima do "porque não e ponto". Tenho razão, sem argumentos e acabou.

Num mundo de unfollow e blocks compulsórios estamos dizendo: não quero argumentar, quero viver aqui no mundo irreal que criei com as minhas certezas e verdades. Seu ponto de vista diferente do meu não serve para mim, nem para me fazer pensar.

Definitivamente, não é esse o mundo que quero para os meus filhos. Quero que eles desenvolvam o poder de argumentação, quero que conheçam cada lado dos seus pontos de vista e escolhas.

Formar cidadãos críticos e que pensem e RESPEITEM os outros é o que mais quero para os meus filhos e isso não cabe na cultura do unfollow.