FUTEBOL

Contra uma Alemanha esvaziada, Seleção fez pouco mais que a obrigação

Author

Ninguém entra em campo pra perder, então a gente entende que Tite e a Seleção Brasileira tenham saído de Berlim felizes com a vitória por 1 a 0 sobre a Alemanha. O resultado é bom, e o mais importante disso é que evitou o ponto de interrogação que surgiria com uma derrota. Maaaaas fiquemos por aí, né? Sem otimismo excessivo. Contra a escalação que Joachim Löw mandou a campo, o Brasil não fez mais do que sua obrigação.

Contra uma Alemanha esvaziada, Seleção fez pouco mais que a obrigação

Pois é, a Mannschaft - como os alemães chamam sua seleção - que não perdia desde a Euro de 2016 foi a campo com uma série de desfalques. Não tinha o goleirão Neuer (que talvez tivesse defendido a cabeçada de Gabriel Jesus e evitado o gol brasileiro), não tinha o zagueirão Hummels (que talvez nem tivesse deixado Jesus cabecear), não tinha Özil, não tinha Khedira, não tinha Götze e não tinha Müller. São seis titulares. SEIS. Mais de meio time.

Ah, mas algum otimista sem noção vai dizer que a força da Alemanha está no conjunto e não nos talentos individuais. Bobagem. Eles têm um time organizado, sim, que mantém a formação com quem quer que esteja no gramado, mas dizer que craques não fazem falta é pura ingenuidade. Ou alguém realmente acha que quando a Alemanha pressionou o Brasil com bolas aéreas no fim do jogo, a presença de um Thomas Müller ali não faria diferença? Sim, o mesmo Müller que fez o primeiro gol do 7 a 1 - numa bola aérea!

Só que enquanto Löw esvaziou seu time, Tite levou força máxima, descartando até os jogadores que supostamente foram convocados para um teste de última hora antes da Copa. Geromel e Talisca não foram nem para o banco. Tsion, William José, Fred, Ederson e Ismaily nem viram a bola. O técnico brasileiro, aliás, só fez uma substituição em todo o jogo: tirou Philippe Coutinho e colocou Douglas Costa. Enquanto isso, a Alemanha enfiou mais cinco reservas no segundo tempo. Terminou o duelo com Brandt, Stindl, Wagner, Süle e Werner em campo. Dito isto, alguém ainda realmente acha que o Brasil exorcizou alguma coisa? Por favor!

É bacana ganhar amistoso e é ótimo superar um time bem organizado taticamente. Se for pouco antes da Copa do Mundo, melhor ainda. Bem ou mal, mantém os ânimos em alta. Mas se for pra ser 100% realista, a Seleção Brasileira fez pouco mais do que a obrigação contra essa Alemanha. Que esse jogo não iluda ninguém antes do Mundial da Rússia.