CINEMA

Dave Bautista disse que só filmará novo Guardiões por obrigação

Author

Dave Bautista não ficou nada feliz com a demissão James Gunn, que comandou os dois primeiros filmes da franquia Guardiões da Galáxia. O diretor perdeu o emprego por causa de tweets antigos e de teor controverso - houve quem o acusasse de pedofilia, enquanto seus defensores alegam que a escolha de tópicos de piadas não faz de Gunn um pedófilo.

Dave Bautista disse que só filmará novo Guardiões por obrigação

Justa ou não, o fato é que a demissão deixou Bautista um tanto incomodado. Ele foi o primeiro ator de Guardiões a tomar o lado do diretor. No mesmo dia, usou o Twitter para afirmar que ele “não estava ok” com a demissão. Agora, fez uma colocação ainda mais forte.

“Vou fazer o que sou legalmente obrigado a fazer, mas Guardiões sem James Gunn não é o que eu me propus a fazer. Guardiões da Galáxia sem James Gunn não é Guardiões da Galáxia. É nojento trabalhar para alguém que dá força a uma campanha difamatória de fascistas e cybernazistas”, afirmou quando indagado se continuaria na franquia caso o diretor não fosse recontratado.

Bautista foi o primeiro e mais enfático, mas provavelmente não será o último ator da franquia a tomar as dores de Gunn. Ele, Chris Pratt, Bradley Cooper, Zoe Saldana, Vien Diesel, Sean Gunn, Pom Klementieff, Michael Rooker e Karen Gillan, inclusive, assinaram uma carta aberta pedindo que a Disney reconsiderasse sua decisão.

O documento diz “apoiamos completamente James Gunn. Todos ficamos chocados com sua demissão abrupta na última semana e esperamos intencionalmente esses dez dias para responder para que pudéssemos pensar, orar, ouvir e discutir. Nesse tempo, fomos encorajados pela enorme onda de apoio de fãs e integrantes da imprensa que querem ver James reintegrado como diretor do ‘Volume 3’, assim como desencorajados por aqueles que facilmente foram enganados e acreditaram nas teorias de conspiração em volta dele.”