CINEMA

Rupert Everett explica como gays são tratados como gente de 2ª classe em Hollywood

Author

Protagonista de filmes como “O Casamento do Meu Melhor Amigo” e “O Marido Ideal”, Rupert Everett abriu o jogo e disparou contra a homofobia em Hollywood. Em uma entrevista para a Press Association, o ator britânico contou que foi vetado por um estúdio por ser homossexual que gays são tratados como cidadãs de segundo classe na indústria do cinema.

Rupert Everett explica como gays são tratados como gente de 2ª classe em Hollywood

“Já houve vários papéis que não consegui por muitas razões diferentes. Em alguns casos, provavelmente por não ser um ator bom o suficiente ou ter feito uma audição ruim. Tudo isso conta. Mas houve três ou quatro filmes grandes, quando tive sucesso, que o diretor e os outros atores me queriam, e eu fui absolutamente vetado por um estúdio pelo simples fato de ser gay”, contou.

“Os héteros podem ter todos papéis de personagens gays que quiserem, mas os gays não têm muita chance de conseguirem papéis de personagens héteros.”

“Isso realmente acontece. Mas, ao mesmo tempo, isso me fez a pessoa que sou. Acho que isso sempre me forçou a tentar ser criativo e compensar. Acho que minha carreira como roteirista não teria acontecido se eu fosse heterossexual, ativo, trabalhando sem parar”, disse Everett, que dirigiu e escreveu o roteiro do filme The Happy Prince (ainda sem título em português), que estreia na Grã-Bretanha no fim de junho.

No novo filme, Everett vive o poeta e dramaturgo Oscar Wilde no exílio, após a prisão. Veja o trailer acima. Ainda não há previsão de lançamento no Brasil.