FUTEBOL

Seleção expôs sérias fragilidades na vitória contra a Rússia

Author

O placar final ficou bonito: Rússia 0 x 3 Brasil. Jogando fora de casa, no frio, com o estádio todo torcendo contra, a Seleção saiu com uma vitória folgada e que, para os mais otimistas, servirá para manter os jogadores embalados antes do amistoso com a Alemanha, marcado para o dia 27, em Berlim.

Seleção expôs sérias fragilidades na vitória contra a Rússia
(Imagem via Lucas Figueiredo / CBF)

No entanto, que ninguém se engane: o time de Tite venceu, mas mostrou que continua com dificuldade para superar sistemas defensivos de cinco jogadores na última linha. Além disso, a Seleção se mostrou extremamente frágil nos primeiros 45 minutos, quando foi a Rússia que obteve melhores chances de abrir o placar.

Não foi nem a primeira vez que Tite e seus comandados sofreram contra uma linha de cinco defensores. Em novembro do ano passado, contra a Inglaterra e com Neymar em campo, a Seleção sofreu para criar chances e saiu de Wembley amargando um empate em 0 a 0. Foi por causa desse jogo que Tite quis o amistoso com a Rússia, que tem sistema defensivo parecido.

E hoje, em Moscou, não foi tão diferente assim. Desta vez sem Neymar (lesionado), Tite escalou Philippe Coutinho ao lado de Paulinho, com Willian, Diego Costa e Gabriel Jesus na frente. Casimiro era o único meia com função majoritariamente defensiva. A formação ofensiva, contudo, fez pouco no primeiro tempo. Teve muita posse de bola, mas frequentemente terminava seus avanços com um chute de longe ou uma bola alçada na área.

O pior mesmo é que, mesmo com tanta posse de bola, a Seleção ainda permitiu que a Rússia levasse mais perigo em certos momentos. Samedov chegou de frente para o gol aos 32, após uma bobeira de Daniel Alves. Depois, Zobnin teve boa chance. Por fim, Miranchuk recebeu quase na pequena área, frente a frente com Alisson, e mandou por cima do gol.

Por sorte, a pontaria russa não foi das melhores. Se com 0 a 0 já estava difícil levar perigo, o que seria da Seleção perdendo por 1 a 0, com a Rússia podendo apertar ainda mais defesa e sem precisar fazer gols? O caos foi evitado com uma bola aérea que resultou no gol de Miranda. Depois disso, a russa desfez a retranca, e o Brasil anotou mais duas vezes, aproveitando os espaços. Até cabia mais. Mas que ninguém se empolgue demais com o placar: a Seleção de Tite tem problemas e fragilidades grandes que precisam de reparo urgente. Faltam só 82 dias para a Copa do Mundo.