NOTÍCIAS

Carro 'sem motorista' mata mulher: o impacto na indústria de veículos autônomos

Author
Carro autônomo da Uber atropelou e matou pedestre nos EUA.
Carro autônomo da Uber atropelou e matou pedestre nos EUA.

Um novo capítulo na corrida para o desenvolvimento de carros autônomos começa nesta semana, após um veículo da Uber operando neste modo atropelar e matar uma pedestre no Arizona, nos EUA, neste fim de semana. Havia um motorista dentro do carro que poderia reaver o controle do carro, mas ele não conseguiu evitar a fatalidade.

A Uber anunciou que suspendeu os testes de seus veículos nos EUA e no Canadá. Mas a empresa não é a única querendo ser a pioneira neste modelo de negócio. Dezenas de companhias de tecnologia fazem parte de uma verdadeira corrida para definir quem vai dominar o mercado.

Já havia um lobby para que o Congresso norte-americano passasse uma lei que facilitaria o uso de carros autônomos. Até o momento, os governos locais estavam dando carta branca para os testes. Isso deve mudar agora.

O pesquisador do MIT Bryan Reimer falou com o Technology Review sobre a rapidez com que testes estão sendo conduzidos: "Até nós entendermos os testes e o desenvolvimento desses sistemas melhor, temos que esperar e trabalhar na evolução da tecnologia". Para o cientista, a polêmica sobre o que um carro autônomo faria se tivesse que escolher entre duas pessoas para atingir em um acidente inevitável foi uma perda de tempo, enquanto questões mais relevantes foram ignoradas pela mídia e pela sociedade.

Uma das grandes ressalvas levantadas por pesquisadores, e corroborada pelo acidente da Uber, é que motoristas de segurança (que ficam no veículo prontos para interferir, se necessário) não têm habilidade suficiente para agir, especialmente se estão no carro há muitas horas. Em um acidente com um carro da Tesla em 2016, o motorista de segurança da empresa morreu.