CINEMA

Cinema micro orçamento de Alexandre

Author

Alexandre Alonso é diretor e ator de cinema de micro orçamento em São Paulo. Já atuou em filmes como Cadillac Respect com Joseph R. Gannascoli de Família Soprano e Noel Gugliemi de Velozes e Furiosos 1 e 7. No filme brasileiro Berço Esplêndido, onde ele é protagonista, dividi a tela com Christiane Tricerri e Antonio Petrin. Com mais de 80 créditos em produções audiovisuais é no mínimo curioso pensar que o mesmo tem 22 anos. 

Cinema micro orçamento de Alexandre

Só no ano de 2017 foi responsável por três longa metragens, tendo atuado em cinco. 

 Seu filme Sexual Repulsivo e doente tem sido reconhecido nos mais diversos festivais de cinema alternativo. Já são 36 seleções, a maioria delas internacionais, para o paulista. Seu primeiro longa, um exploitation de comédia extremamente blase e rústico, terminou sendo pirateado pelos cantos mais questionáveis da internet. Seus filmes são sobre o cru, o que é ruim de engolir, que desce seco. O baixo orçamento é muitas vezes companheiro e peça chave do que se transmuta na tela, pois é o fato verídico, de que este cinema não tem espaço. É um cinema de asco. Representações de esquerda, ou direita caem por terra no momento que se confronta o errado social pelo viés da leniência seletiva e não por seus pontos políticos. E até certo ponto faz parte do cinema marginal encontrar ressalva, crítica e desgosto. Com filmes de figuras diversas, mas sempre estrelados e protagonizados, numa espécie de sina e presente, por Alexandre Alonso. Figura desconexa do que diz a regra. Uma pessoa tímida porém exposta,  que grita alto mas é frágil. E isso é notado na construção de uma narrativa que sempre cai nos mesmos pontos. E conforme se percorre o trabalho dele é possível ver que se trata de um homem quebrado. 

Cinema micro orçamento de Alexandre

Mas não torço por sua total recuperação, pois é de cinema triste que se coloca público, mesmo ele sendo regado de humor, nefasto e por vezes carente de sentido lógico-narrativo. A proposta do ruído é mais latente que a castração, na obra de alguém que usou deste recurso curioso em diversos de seus filmes. A relação quase parafílica do diretor com não entregar a mensagem com clareza ao espectador, é nitidamente uma vingança. Pois acima de cenas grotescas, nudez e takes longos e contínuos, o que se pode ver em todas as obras sem modificação nenhuma de misbehavior é alguém que se sente incompreendido. Isolado. Alguém que quando criança demorou a falar; Quando adulto, ainda engolindo palavras. Perdendo nexos. Se trata de um cinema volátil. 

Cinema micro orçamento de Alexandre

 Alexandre Alonso é criador, cineasta, ator. Porém tem dificuldade de admitir que é também escravo de seus medos, manifestados em obras digitais, que podem perdurar ou não com o mais leve passar do tempo.