HUMOR

Morte

Author

    Tem sido muito difícil pra mim conviver com a morte. Saber de sua presença constante. A distância e a espreita. Seguindo de perto os meus passos e usurpando a vida de pessoas ao redor. A morte faz da vida uma benção cruel. Nos torna seres impotentes em luto. E, ao mesmo tempo, nos dá a graça de tornar todos os problemas anteriores aquele fato indubitavelmente insignificantes. Todos os odiados, os imbecis, as irritações, os amores, a política, a bolsa de valores, os refugiados na síria e até os medos que caminham junto com nosso sangue na corrente sanguínea. Nesse sentido, a morte é uma benção porque faz pouco de nós, nos mostra que somos absolutamente nada enquanto vivemos na imbecilidade do nosso próprio ego. A vida é um susto e a morte, talvez, o alívio. Porém, o luto por trás de toda a dor inconsolável é agridoce porque, no fundo, é uma benção amar alguém além dos limites impostos por sei lá quais sejam as forças do universo que nos prendem nesse planeta. É uma benção saber que podemos sentir coisas por pessoas que são fisicamente incapazes de provocar qualquer tipo de emoção em nossos corpos. É uma despedida, um adeus e, principalmente, uma certeza.