MÚSICA

5 motivos que provam que o Acústico do Charlie Brown é o maior da história

Author
5 motivos que provam que o Acústico do Charlie Brown é o maior da história

(Reprodução)

Lançado em 2003, o Acústico MTV do Charlie Brown Jr. chegou só agora no Spotify. O disco sempre foi aclamado como um dos melhores da série da MTV e não faltam motivos para isso. Te damos cinco: 

1 - Banda no auge

Ao contrário da maior parte das bandas, que estavam em baixa na época da gravação de seu Acústico MTV, como Capital Inicial e Titãs, e conseguiram no formato um sucesso nunca antes alcançado na carreira, o Charlie Brown Jr. estava no auge. Certamente o disco não pode ser considerado uma tentativa de "reerguer" a carreira, uma vez que ele foi sucessor de Bocas Ordinárias, que continha grandes sucessos, como "Só Por Uma Noite" e "Papo Reto", e predecessor de Tamo Aí na Atividade, álbum de "Champanhe e Água Benta" e da própria "Tamo Aí na Atividade".

2 - Formação clássica

O Acústico MTV é o último disco com uma das formações mais clássicas do Charlie Brown, com Chorão no vocal, Champignon no baixo, Marcão na guitarra e Pelado na bateria. Depois dessa gravação, Pelado não retornaria mais à banda, e Marcão e Champignon só voltariam em 2011, seis anos depois de suas saídas. A formação com os quatro gravou, além do Acústico, Bocas Ordinárias, de 2002, 100% Charlie Brown Jr. - Abalando a Sua Fábrica, de 2001, e Tamo Aí na Atividade, de 2004, porém sem sair em turnê por este último.

3 - Baitas canções inéditas

Os Acústicos são sempre marcados por regravações dos grandes clássicos da banda, mas o Charlie Brown fez valer o poder das duas canções inéditas que compunham o disco, "Vícios e Virtudes" e "Não Uso Sapato", que inclusive foram os singles (a regravação de "Samba Makossa", de Chico Science, também sairia como música de trabalho em 2004). As duas músicas entraram na lista de mais tocadas das rádios naquele ano.

4 - Repertório enxuto 

Esse item pode parecer equivocado se levarmos em consideração que o disco tem 20 (VINTE) músicas, mas uma vez que Chorão e sua turma foram os maiores hitmakers do rock brasileiro daquela época, esse número não é um exagero. Os sucessos "Proibida Pra Mim", "Papo Reto", "Zóio de Lula" estão lá, além de canções subestimadas do setlist da banda, como "Tudo Pro Alto", e as regravações que são de praxe nesse formato, como "Samba Makossa", "Hoje", do Camisa de Vênus e "Oba, Lá Vem Ela",de Jorge Ben. O repertório é perfeito e ainda deixa muita música boa de fora.

5 - Não perdeu a essência

O Charlie Brown Jr. foi uma das poucas bandas que conseguiu fazer um disco Acústico sem perder a sua essência. A troca de guitarras por violões pareceu tão natural quanto a luz do dia. O som "praiano" da banda casou perfeitamente com o formato e não à toa é um dos DVDs favoritos de barzinhos e restaurantes até hoje.

Ouça o disco aqui: