MÚSICA

Não lançar seu disco em plataformas de streaming é uma boa para os artistas?

Author
Não lançar seu disco em plataformas de streaming é uma boa para os artistas?

(Reprodução)

Foi lançado oficialmente nesta sexta-feira, dia 10 de novembro, o novo álbum de Taylor Swift, Reputation, apenas para venda (física ou digital). De acordo com o site da Bloomberg, o disco não estará disponível em plataformas de streaming, como Spotify, Deezer, Tidal e Apple Music, nas primeiras semanas. No entanto, os singles de Reputation previamente lançados, como "Look What You Made Me Do", continuam normalmente nas plataformas.

A jogada não é exatamente uma surpresa, uma vez que a relação da cantora com os serviços digitais gratuitos, como o Spotify, não é muito boa. Em 2014, Swift escreveu uma carta aberta no Wall Street Journal, explicando a sua posição contra essas plataformas. "Devemos pagar por coisas valiosas. Na minha opinião música não deve ser grátis", afirmou. A expectativa da gravadora é que o disco venda 2 milhões de cópias em sua primeira semana, algo raro nos tempos de internet.

É difícil dizer agora se Swift está fazendo a coisa certa ou dando um tiro no pé, mas ao seu lado estão vários artistas do primeiro escalão. Bandas como The Black Keys e Radiohead já se posicionaram totalmente contra o Spotify. E já foi comprovado que essa estratégia, chamada de "windowing", quando usada por artistas de alto escalão dá certo. Se um disco é colocado somente à venda (física e digital) nas suas primeiras semanas, a tendência é de que gravadora, bandas e artistas ganhem mais com isso.

Isso não impede os discos de entrarem nas plataformas digitais posteriormente. Mylo Xyloto, do Colplay, por exemplo, lançado em outubro de 2011, entrou no Spotify três meses depois, em fevereiro de 2012. 25, da Adele, que saiu em novembro de 2015, só foi parar nos serviços de streaming gratuitos em junho de 2016. A própria Taylor Swift colocou toda a sua discografia de volta no Spotify em junho deste ano.

Na luta dos grandes artistas, que são os que têm mais poder de negociar com as grandes plataformas, o Spotify geralmente é o principal alvo, uma vez que o plano mais básico do serviço é grátis. Porém, a verdade é que o streaming de música digital ainda é algo relativamente novo e que as gravadoras ainda estão tentando descobrir qual é a melhor maneira de ganhar dinheiro com isso. Enquanto isso a gente só espera que as músicas novas de nossos artistas favoritos cheguem o mais rápido possível nos nossos celulares e desktops.