REALITY SHOW

MasterChef: Cozinhar é/e planejar

Author
MasterChef: Cozinhar é/e planejar

Como em muitas profissões, o planejamento é uma perícia importante para um cozinheiro. No último episódio de MasterChef, transmitido na noite de terça-feira (27), a falta de pensar o que servir de acordo com a situação apresentada foi o calcanhar de Aquiles nas duas provas exibidas. E quando se está em uma competição, planejamento resulta em estratégia de jogo, quesito que ajuda muito na conquista do troféu.

Pela primeira vez na temporada, os participantes foram divididos em dois grupos para uma prova competitiva. A tarefa era servir para um grupo de 150 militares um prato no qual a linguiça artesanal seria a protagonista. A equipe capitaneada por Victor Hugo preparou linguiça com legumes, porém não planejaram a quantidade de insumos e alguns convidados tiveram de se contentar em degustar a proteína sem qualquer acompanhamento.

Mesmo assim, sua equipe foi exitosa porque os rivais fizeram um prato chinfrim: linguiça com arroz branco e uma citronete desequilibrada. O time liderado por Eliane foi alertado por Jacquin que o arroz branco seria um acompanhamento simples demais para uma prova desse estilo, na qual o objetivo é ser o melhor. Com uma proposta tão corriqueira, Eliane precisaria contar com um enorme erro dos adversários para ser vitoriosa.

Nas sobremesas, ambas as equipes falharam no planejamento. Os competidores tiveram de cozinhar ao ar livre sob sol escaldantes, que testou os limites da pressão arterial de ao menos duas cozinheiras. Nesse cenário tórrido, ninguém pensou que fazer em pouco tempo uma sobremesa gelada talvez não fosse a melhor das ideias...

MasterChef: Cozinhar é/e planejar

Na prova eliminatória, o tema era coxinha. Cada participante teria de entregar três unidades do salgado, que poderiam ser do mesmo sabor ou variadas. Poucos demostraram alguma experiência prévia com o prato, sendo a maioria estreantes totais. Cientes de suas limitações e sem a obrigação de ser o melhor da noite, seria aconselhável que cada iniciante focasse no simples, como fez Carlos.

Para escapar da degola, o certeiro seria entregar três coxinhas de frango, que podia até levar um pouco de requeijão para diminuir o risco de o recheio ficar ressecado. De preferência, achar tempo de fazer uma fritada-teste para garantir que esteja tudo certo, ou para que se façam ajustes antes de entregar aos jurados.

Mas Tereza queria mais e inventou de fazer frango ao curry e frango com cogumelos. Pelo menos teve o bem senso de não se aventurar por coxinhas doces logo em sua estreia. Acabou entregando três salgados deformes, nos quais o recheio sumiu em uma papa de batata. Se não tivesse gastado tempo fazendo dois recheios com firulas, poderia ter mais foco na confecção de suas primeiras coxinhas, com formato e recheio de coxinhas mesmo. Resultado: eliminação.