COMPORTAMENTO

MasterChef: Uma questão de tempo

Author
MasterChef: Uma questão de tempo

Quando se cozinha, é preciso estar sempre atento ao tempo e à temperatura. O primeiro desses fatores foi crucial no episódio de MasterChef Profissionais de 17 de outubro. A primeira parte do capítulo foi pautada pela repescagem, com uma prova tripla que pedia por uma estratégia bem articulada.

Tudo começou com uma preparação a base de foie gras. Na rodada em que o objetivo era não ser eliminado, Mirna inventou de fazer a proteína com sagu, uma preparação que nunca havia realizado. Berta perdeu tempo com acompanhamentos e serviu lagostins crus com foie gras fora do ponto. Foram eliminadas com Pedro.

Depois foi a vez do filé mignon e apenas Angélica conseguiu colocar a carne na panela a tempo de criar uma saborosa crosta. Entretanto, no final a disputa pela vaga ficou entre William e Guilherme, que souberam colocar mais sabor e manter o ponto da carne. A dupla teve trinta minutos e tema livre para impressionar os jurados no desfecho da repescagem, mas parece que os competidores ouviram que teriam uma hora e trinta minutos. Fizeram escolhas arriscadas demais.

William teimou em cozinhar mandioca, uma raiz que demora a amolecer. Na pressa, teve de bater no liquidificador e entregar uma musseline elástica. Com mais tempo, teria passado pela peneira e não liberaria tanto amido. Já Guilherme optou por pato e risoto, preparações que normalmente levam mais de meia hora. A parte mais grossa da carne ficou fora do ponto, mas o paulista se salvou.

Paola fez ressalvas sobre as escolhas desnecessariamente arriscadas dos finalistas da repescagem. Por isso, se houvesse um terceiro competidor que entregasse um simples prato de frutos do mar ou um bifinho, mas com o ponto perfeito, o resultado seria outro.

MasterChef: Uma questão de tempo

Na segunda parte do episódio, todos os participantes foram reunidos para uma prova de eliminação: reinventar o prato típico tailandês pad thai. Nessa fase, o fator tempo voltou a marcar presença, mas na faceta da experiência.

A cozinha asiática traz o desafio de equilibrar temperos numerosos dentro de uma mesmo prato. Os cozinheiros mais jovens não tiveram jogo de cintura para misturar os sabores, o que culminou em Raissa e Guilherme na berlinda. O recém-salvo chef foi novamente eliminado.

Mais uma vez, MasterChef se provou uma competição que se ganha com a cabeça. É preciso identificar quando se salvar e quando ousar para merecer um destaque.

P.S.: Ainda no assunto, é problemática a contagem regressiva alongada de Ana Paula Padrão. Dá sempre uma lambuja de vários segundos para retardatários. Seria mais justo e até mais emocionante se o tempo fosse realmente respeitado e que os atrasadinhos fossem punidos.