TV

A autora de "A Força do Querer" quer salvar os seriados brasileiros

Author

Não precisa ser um usuário assíduo de redes sociais para saber que séries é o novo vício do pessoal no mundo todo. A Netflixização televisiva faz com que boa parte das pessoas espere ansiosamente para qualquer programinha dividido por episódios transmitido por um serviço de streaming ou pela HBO. Mas e o Brasil, onde entra nisso?

A autora de "A Força do Querer" quer salvar os seriados brasileiros
(Reprodução/Globo)

Aqui no Brasil nunca tivemos muito histórico com séries. Quer dizer, sempre tivemos séries de comédia, tipo "Família Trapo" quando a TV era em preto e branco ou programas parecidos mais atuais como "Sai de Baixo" e "Toma Lá Dá Cá", que sempre são sucesso de público e crítica. Nas últimas décadas tivemos poucos bons exemplos de séries que não eram de humor: "Malu Mulher", "Armação Ilimitada" e um ou outro gato pingado. Recentemente, a Globo conseguiu chamar a atenção com vários seriados hypados como "Supermax" e "Carcereiros", mas nenhum deles conseguiu qualquer repercussão. Na verdade o motivo é porque eram bem medianos.

A coisa começou a mudar na temporada de 2017, quando do nada o seriado dramático "Sob Pressão" conseguiu expressivos índices de audiência. O sucesso desse seriado médico inspirado no SUS foi tanto que o programa foi até lembrado no "Melhores do Ano do Faustão", aquela premiação que sempre ignora qualquer coisa que não seja a última novela das nove.

Mas a Globo está ciente que precisa apostar nos seriados, até para acompanhar a tendência mundial. Afinal, é muito mais fácil exportar séries do que uma novela de duzentos capítulos. Para conseguir esse objetivo, ela fez uma mudança em seu staff. Guel Arraes, o então responsável por teledramaturgia seriada na emissora, se afastou do cargo e a emissora colocou em seu lugar nada menos que Gloria Perez, a autora de "A Força do Querer". Mas o que uma autora de novela poderá fazer para ajudar os seriados? TUDO.

A autora de "A Força do Querer" quer salvar os seriados brasileiros
(Divulgação/Globo)

Embora conhecida por "O Clone" ou "Caminho das Índias", Gloria Perez é uma consumidora assídua de seriados americanos e (principalmente) latinos. E foi pegando essas inspirações que ela deu um quê de seriado para sua última novela na Globo, conseguindo muito sucesso. É de sua autoria também o (maravilhoso) seriado "Dupla Identidade", aquele em que Bruno Gagliasso é um assassino em série que se relaciona com uma garota borderline. Bem diferente do tipo de novela alegre e com dancinha, não é mesmo?

Gloria conhece como ninguém o brasileiro de todas as regiões, seus hábitos, o que gosta de assistir e, principalmente, o que toca ele. Somando isso à sua expertise em acompanhar criticamente séries, ela se mostra a pessoa ideal para emplacar esse novo projeto.

A função de Gloria Perez será analisar os roteiros, auxiliar autores e planejar grades para que a Globo possa ter uma importância também nas séries. E com a aproximação de seu próprio serviço exclusivo de séries (que vem sendo chamado de Globoflix), sabemos que Gloria Perez será uma mão na roda para a emissora.