TV

A importância dos beijos entre homossexuais nas novelas

Author

Na última semana de "O Outro Lado do Paraíso", mais uma vez os olhos da conservadora família brasileira entraram em combustão espontânea com a exibição de um beijo entre os personagens Samuel (Eriberto Leão) e Cido (Rafael Zulu). Pelos nomes, você deve ter percebido que se trata de um beijo entre pessoas de mesmo sexo, e essa matéria é justamente para falar o quanto isso precisa continuar acontecendo.

A importância dos beijos entre homossexuais nas novelas

Hoje mais comum do que grama alta em praças mal zeladas, o beijo heterossexual nem sempre foi algo tão visto nas novelas brasileiras. Acredite ou não, mas houve uma época em que protagonistas não trocavam um único selinho do começo ao final das novelas, tudo porque o público achava isso uma pequena perversão. Tudo isso começou mudar como Vida Alves deu o primeiro beijo da teledramaturgia nacional em "Sua Vida Me Pertence" em 1951.

As coisas foram difíceis naquela época, e pra conseguirem um beijo televisionado foi necessário muita negociação, tanto com os atores quanto com o público (que poderia ficar chocado ao ver duas bocas se tocando). O resultado foi um beijo beeeeem discreto, um rápido selinho, que entrou na história da televisão brasileira... sem qualquer registro. As novelas eram exibidas ao vivo, então a única forma de registrar esse beijo seria se o fotógrafo da Tupi tivesse tirado uma foto nesse momento. Infelizmente ele não fez isso pois não achou que era algo muito importante... enfim...

Ver a trajetória do beijo heterossexual nas novelas mostra que o público brasileiro é até adepto a novidades e modernidades em telenovelas, só não gosta de ser pego do nada. Ainda vivemos em um período no qual o beijo entre pessoas de mesmo sexo choca, mas estamos avançando a respeito desse assunto. Tanto é que ele tem surpreendido menos, e não tem virado mais notícia. Não rolou qualquer debate na internet a respeito de um possível beijo entre Samuel e Cido em "O Outro Lado do Paraíso", apenas rolaram matérias sobre as reações.

O primeiro beijo entre pessoas do mesmo sexo em novelas foi em 2011, na novela "Amor e Revolução" do SBT, mas na Globo o negócio demorou um pouco. Desde meados dos anos 2000 a emissora flertava com a ideia de exibir um beijo assim, mas o público rejeitava a ideia. Em "América" (2005), Bruno Gagliasso até chegou a gravar um beijo com seu namorado na trama, mas a cena foi cortada pela direção da Globo.

A importância dos beijos entre homossexuais nas novelas

Foi só em "Amor à Vida" (2014) que a coisa mudou de figura: o ex-vilão Félix (Mateus Solano) havia virado o queridinho do público, e seu namoro com Niko (Thiago Fragoso) virou uma das atrações da novela. Atento a essa mudança, Walcyr Carrasco fez os dois personagens ficarem juntos e darem um beijo no último capítulo na novela. A partir daí, a Globo teve mais alguns beijos importantes em suas novelas, alguns indo bem, outros nem tanto.

Clara e Marina de "Em Família" protagonizaram o primeiro beijo entre duas mulheres numa novela da Globo ainda em 2014. Foi um sucesso, mas a tentativa seguinte não deu tão certo: o beijo entre as personagens de Fernanda Montenegro e Nathália Thimberg já no primeiro capítulo de "Babilônia" (2015) foi um dos motivos alegados para explicar a rejeição à novela. Recentemente, a novela "Malhação - Viva a Diferença" (2017) teve seu primeiro beijo entre duas mulheres exibido com muita celebração por parte do público.

A importância dos beijos entre homossexuais nas novelas

Assim como o primeiro beijo dado por Vida Alves na novela "Sua Vida Me Pertence", o beijo entre pessoas de mesmo sexo é um processo que já entrou nas telenovelas brasileiras e não tem como interromper. Ainda bem! As novelas são o produto de maior audiência do país, levando entretenimento e conhecimento para pessoas dos quatro cantos do país, quando o beijo entre pessoas de mesmo sexo for mostrado como algo normal, a parcela da população que reclama disso vai cair.

Espero sinceramente que não precisemos voltar à época de "Paraíso Tropical". Nessa novela havia um casal homossexual que morava junto, e até dividiam a mesma cama, mas nunca eram vistos se tocando. E nem digo de beijo: um mal relava o dedo no outro, pareciam mais brothers de academia que um casal.