TV

Liguei na Record e a novela "Apocalipse" havia virado o filme dos Vingadores

Author

Guerras infinitas, robôs guerreiros, muito tiro e destruição. Um telespectador desatento que colocasse sua TV na Record iria se deparar com características comuns aos best sellers da Marvel no cinema, mas não se engane: é apenas mais uma trama (absurda) de "Apocalipse".

Liguei na Record e a novela "Apocalipse" havia virado o filme dos Vingadores

Eu assisto novelas com alguma frequência, mas confesso que abandonei "Apocalipse" lá atrás. Hoje em dia eu vejo mais momentos de "Carinha de Anjo" que do folhetim bíblico da Record, e o motivo é simples: a história é pouco intuitiva, confusa e conta com Sergio Marone numa atuação AINDA PIOR que a do imperador Ramsés de "Os Dez Mandamentos". Mas por algum motivo (interferência divina, quem sabe?) minha televisão estava na Record durante o capítulo exibido na última quarta-feira (02) e vi cenas surpreendentes.

Não entendi nada o que estava acontecendo, o que prova que a novela não é muito bondosa com quem está chegando nesse momento. Vi apenas atores interpretando estereótipos judeus ofensivos (pobre Jussara Freire) e o anticristo Ricardo (com cabelos brancos por alguma razão) incorporando o vilão de um filme baixo-orçamento. Em sua base tecnológica (um bunker quase vazio e com 3 figurantes), ele ordenou um ataque a Jerusalém. E aí, amigos, eu vi algo que nunca imaginaria presenciar numa novela da Record.

O tal ataque, uma livre interpretação de fatos ocorridos no livro de Apocalipse (inclusive com citação do versículo), foi realizado através de uma invasão de robôs armados até os dentes em Jerusalém. Com uma computação gráfica pouco convincente e um poderio tecnológico equiparável a um PlayStation 2 (videogame lançado no ano de 2000), acompanhamos uma luta que desesperadamente tentava nos convencer que era algo épico, mas passou apenas como algo constrangedor.

"Apocalipse" não tem mais qualquer traço de semelhança com um folhetim, mesmo os mais inovadores, e aparentemente se tornou apenas num institucional religioso que abusa de cenas em fundo verde. Os momentos finais da tal invasão, com Ricardo assassinando um sacerdote, tinha tanto fundo verde que acredito ter sido gravado num puxadinho da Record e só posteriormente colocaram os cenários computadorizados.

A invasão dos robôs lembrou bastante trechos de "Os Vingadores - A Guerra de Ultron", filme no qual os heróis Marvel se juntavam para enfrentar um exército num cenário totalmente computadorizado simulando uma cidade nos ares. Mas, ao contrário da Record, a Disney tem orçamento e bons coreógrafos para não tornar essa cena cafona.

Me parece que a Record não aprendeu nada com "Os Dez Mandamentos". O que o público busca são histórias identificáveis e de forte apelo humano. Um anticristo comandando robôs assassinos está um pouco longe do que esperamos de uma novela.