NOVELA

O criador do "Castelo Rá-Tim-Bum" salvou a novela "Malhação"

Author

"Malhação" estava em crise há mais tempo que a política brasileira. Não em questão de audiência, porque as últimas fases da novelinha teen até que davam bons resultados no Ibope, mas criativamente a trama estava mais morta que o casamento da mulher do meme da rata esmagada. Mas em 2017 o folhetim reencontrou seu público e ajustou sua rota com a ajuda de um nome: Cao Hamburger.

O criador do "Castelo Rá-Tim-Bum" salvou a novela "Malhação"

(Reprodução/Globo)

Com nome de rede de fast-food, Cao Hamburger é responsável pela educação de muitas gerações de crianças e adolescentes (pelo menos indiretamente). Seu primeiro grande trabalho televisivo foi em 1994 quando criou e escreveu a série "Castelo Rá-Tim-Bum", um sucesso sem precedentes exibido pela TV Cultura. Enquanto a Cultura tentava por sua conta e risco apostar em mais uma iteração de sua franquia com a flopadíssima "Ilha Rá-Tim-Bum", Cao se aventurava em outras emissoras e outros projetos: no SBT cuidou dos garotos do TV CRUJ e na Globo dirigiu "Cidade dos Homens".

Em 2006 ele teve mais um daqueles projetos que marcam uma geração de crianças: saiu de suas mãos a maravilhosa adaptação "Um Menino Muito Maluquinho" da TV Cultura que transformou o livro de Ziraldo em uma série com muita profundidade. É justamente nesse programa que vimos o quanto Cao Hamburguer sabe ser educativo sem ter um texto chato de Telecurso 2000. Sua principal experiência com adolescentes veio com a série da TV Cultura "Pedro & Bianca", que retratava o universo escolar. E foi de olho nessa experiência conquistada com a série que Cao Hamburger foi chamado para renovar a cansada "Malhação".

Cao Hamburger promoveu uma grande revolução na novelinha. Pra começar, deixou o Rio de Janeiro de lado e localizou a nova temporada em São Paulo. Cao também afastou o tradicional drama clichezento da mocinha, do mocinho e da vilã que tenta separá-los e criou um grupo de cinco meninas distintas que se uniram numa situação incomum: o parto de uma delas num metrô. E nada de competição entre elas, elas são amigas e se unem para superar os problemas.

O criador do "Castelo Rá-Tim-Bum" salvou a novela "Malhação"

(Reprodução/Globo)

Chega a ser fenomenal a forma como os adolescentes são mostrados na atual fase de "Malhação". Todos eles conversam como jovens e fazem coisas típicas da idade, sem parecerem jovens idealizados como em temporadas anteriores. Nessa temporada rolou até gente bebendo em festas! Um alívio, porque nas temporadas anteriores só faltava os personagens pedirem uma rodada de suco para a galera do Gigabyte.

Com tantas mudanças feitas em "Malhação", até poderíamos imaginar que a novela iria sofrer recorde de rejeição, mas foi bem o contrário: essa é uma das temporadas de maior audiência de "Malhação", num índice que nem a Globo sabe explicar muito bem como conseguiu.

Mas será que é assim tão difícil perceber o que deu certo? Temos personagens humanos, diálogos bem escritos, assuntos pertinentes, uma ambientação excelente e, para completar, todos os bons elementos dos bons folhetins como intrigas, romances e namoros impossíveis. É até uma pena que a próxima temporada da novela vai jogar tudo isso pro alto e voltar a retratar adolescentes irreais num Rio de Janeiro de Manoel Carlos.