TV

O Outro Lado do Paraíso transforma agressor de mulheres em mocinho após "terceirizar culpa"

Author

A atual novela das nove está batendo todos os recordes de audiência, de tramas sem sentido e de desserviços prestados a minorias. Um dos principais pilares da história, o caso da agressão a mulheres que rendeu até campanha nos primeiros capítulos, foi completamente deturpada nessa segunda fase e a culpa foi jogada em uma outra mulher!

Reprodução/Globo
Reprodução/Globo

Walcyr Carrasco tinha vários planos na cabeça para manter sua novela "O Outro Lado do Paraíso" funcionando normalmente até o mês de maio, e um deles era promover uma reviravolta na história depois que a mocinha Clara (Bianca Bin) se vingasse dos três responsáveis por sua internação compulsória. A tal mudança na trama é um recurso bem famoso em novelas: trocar mocinho e vilão de lugar.

Assim como ele fez (de forma sem querer) em "Amor à Vida" (Félix era para ser o malvadão mas foi promovido a protagonista da novela após um arco de redenção), o plano do autor é pegar Gael (Sergio Guizé), o agressor de mulheres da primeira fase, e transformar no mocinho ao mesmo tempo que revela a vilania do médico Renato (Rafael Cardoso). Como público até gostamos dessas reviravoltas, "A Favorita" inteira se baseou nisso colocando Flora (Patrícia Pillar) como a assassina psicopata após meses fingindo ser gente boa, mas nesse caso ele escolheu a pior forma possível para continuar.

-----
Esse é um dos lados da história. Confira outro:

-----

Gael agrediu Clara quando foi casado com ela. Chegou a forçar relações sexuais na noite de núpcias. Como se não bastasse, continuou agredindo a pedido da mãe. Gael não é uma pessoa curável por uma reviravolta, é uma pessoa com sérios problemas em conviver em sociedade com mulheres e precisa urgentemente de tratamento e se manter afastado de quem ele agride.

Mas não é isso que o autor planejou. Primeiro vieram as insinuações que Gael agredia mulheres por estar "possuído por um espírito maligno", e agora o caso dele foi resolvido por "coaching espiritual": após uma consulta com a mística Mercedes (Fernanda Montenegro), o rapaz relembrou que apanhava na infância de sua mãe, Sophia (Marieta Severo). E pronto. Esse é o motivo.

Reprodução/Globo
Reprodução/Globo

Após essa ajuda espiritual, Gael teve uma mudança de 180 graus em sua vida. Agora quer ajudar Clara e tudo indica que tem grandes chances de terminar a novela ao lado da mocinha (isso se o público rejeitar o relacionamento dela com o advogado criminalista Patrick, vivido por Thiago Fragoso). E isso é a pior coisa que poderia acontecer.

Em uma novela que tratasse o assunto de forma decente, ou Gael ficaria preso pelas agressões ou aprenderia com uma terapia como controlar essa sua raiva. Mas voltar para Clara nunca deveria ser uma opção possível. "Ah, mas isso é novela", algum leitor pode falar, mas vamos lembrar que Gael foi usado como uma campanha social no começo da trama.

E agora? Vamos assumir que todo agressor é assim porque apanhou em casa? E o quão cruel é o personagem terceirizar a própria violência e jogar nas costas de sua mãe? Agora uma mulher é responsável pela agressão a uma mulher?

São muitas perguntas que ficam, e Walcyr Carrasco tem até maio para poder responder do jeito correto. Vamos ficar de olho.