TV

Televisão continua investindo no show de horror dos atrasados do Enem

Author

Domingo de Enem é garantia de muito urubu acampado na porta das faculdades para acompanhar quem é barrado na entrada da prova por atraso. Existe até site ~de humor~ que organiza um camarote para assistir à desgraça alheia! Sabemos que na internet esse tipo de graça questionável é muito presente, mas a TV agora parece que abraçou de vez o circo.

Televisão continua investindo no show de horror dos atrasados do Enem

(Reprodução/Globo News)

Prestes a dar 13h no relógio, o Globo News iniciou seu telejornal com cinco minutos de antecedência apenas para cobrir o fechamento de portas do Exame Nacional do Ensino Médio. O fato cotidiano de um portão se fechando se transformou num grande espetáculo nacional, e claro que as televisões começaram a investir uma grana para cobrir isso.

Para se ter uma ideia, o canal pago de notícias dividiu a tela em quatro links ao vivo em diversas localidades do país, na porta de faculdades dos principais estados brasileiros. Visivelmente constrangida, a âncora do telejornal tentava dar um ânimo à transmissão de um portão aberto com o ânimo de um Datena narrando enchente.

"Segundo meu relógio, já se passaram 20 segundos do horário de fechamento", informou a jornalista diante do ~show~ que não começava. Com o fechamento dos portões, os câmeras começaram a procurar em meio à multidão (formada por pessoas que foram lá filmar o sofrimento alheio enquanto bebiam cerveja) exemplos de pessoas que davam de cara com a grade de ferro para conseguir aquela imagem de lágrimas.

Esse grande ~espetáculo~ dos atrasados também é motivo de pauta para programas de humor como o "Pânico na Band". Na edição deste ano, o grupo de Emílio Surita enviou para a porta de uma famosa faculdade na zona oeste o humorista Lucas Selfie, aquele que garantiu a expulsão do grupo do evento CCXP por ter lambido uma cosplayer numa matéria bem sem-graça.

Algo bastante comum, tanto no jornalismo da Globo News quanto nas matérias ~humorísticas~ é alegar que se trata de uma conscientização para que as pessoas cheguem cedo para fazer o exame. O começo da matéria do Pânico até usou como comparação (a meia dúzia de) adolescentes que acamparam na porta do show do Justin Bieber quatro meses antes do show.

Os programas jornalísticos tentam passar a imagem de prestação de serviço, mas não é bem o que acontece. Curiosamente, nenhuma palavra no jornal da Globo News foi dita sobre o problema de velocidade do metrô de São Paulo que levava até a faculdade em que eles acamparam com as câmeras. Críticas à ineficiência do transporte público e o problema do trânsito no país inteiro também não foram mencionados pelo telejornal ~a serviço do espectador~.

Na verdade, é apenas para poder mostrar o sofrimento das pessoas e rir das lágrimas dos atrasados.