CIÊNCIA

Mulher com útero transplantado dá à luz a bebê saudável nos Estados Unidos

Author

A ciência segue avançando...

Mulher com útero transplantado dá à luz a bebê saudável nos Estados Unidos

Pela primeira vez na história, uma mulher com útero transplantado deu à luz a uma menina saudável nos Estados Unidos. O fato ocorreu no hospital Baylor University Medical Center, em Dallas.

A mulher, que pediu para não ser identificada, recebeu o órgão de uma enfermeira de 36 anos, mãe de dois filhos. No mesmo hospital, houve outras dez tentativas, mas essa foi a primeira com resultado satisfatório.

Vale ressaltar que, na Suécia, o processo já ocorre desde 2014, quando uma sueca de 36 anos deu à luz depois de receber o transplante. Desde então, houve oito casos de sucesso no país.

Os transplantes de útero são vistos como uma fonte de esperança para mulheres que não podem dar à luz porque nasceram sem o útero ou tiveram que removê-lo devido a complicações como o câncer. Segundo o New York Times, cerca de 50.000 mulheres estão na fila em busca de um transplante.

O procedimento

O procedimento tem, no total, 10 horas de duração: cinco para remover um útero saudável e outras cinco para colocá-lo em outra mulher.

Nesses casos, o único modo de engravidar é a fertilização in vitro, uma vez que os ovários não estão conectados ao útero transplantado. Antes do transplante, as mulheres recebem tratamentos hormonais para fazer com que seus ovários liberem vários óvulos, que são, então, colhidos, fertilizados e congelados.

O útero transplantado deve ser temporário, isto é, deve ficar no corpo da mulher apenas no tempo necessário para se ter uma ou duas crianças. Posteriormente, o órgão deve ser removido. Isso é necessário para que a mulher deixe de tomar os remédios que previnem a rejeição do organismo ao transplante e que, a longo prazo, podem fazer mal ao seu corpo.

A gravidez é considerada de alto risco, tendo que ser acompanhada por médicos especializados. A cirurgia é de alto risco e o procedimento de nascimento deve ser o de cesariana, para evitar que se coloque muita pressão nos úteros transplantados. Até agora, a maioria dos bebês que nasceram decorrentes desse processo foram prematuros – de 32 a 36 semanas.