SÉRIES

9 séries que você (provavelmente) nunca deu bola, mas deveria dar uma chance

Author

Mesmo longe do auê atual da internet, olhe com carinho para algumas dessas produções escondidas porque elas valem a maratona 

9 séries que você (provavelmente) nunca deu bola, mas deveria dar uma chance

Na foto: Fringe, Please Like Me e Mr. Robot

Em meio a tantas opções, às vezes é fácil se perder nos serviços de streaming ou programação dos canais pagos. Sem contar que vira e mexe ficamos tão presos no buzz que as séries geram, como "Game of Thrones", "Breaking Bad" ou "Stranger Things" - afinal, já ocupam boa parte do nosso tempo livre, que até esquecemos de procurar uma pérolas escondidas.

Em alguns casos, é a falta de divulgação por aqui, ou por estarem longe das premiações, em outros porque foram canceladas ou até porque simplesmente é muita coisa pra acompanhar e raramente fazemos uma listinha.

Por isso, separamos uma lista com algumas boas histórias que merecem uma chance. 

Confira: 

1. Alias Grace. 

A minissérie é baseada num romance de Margaret Atwood e foi inspirada em fatos reais. Criada por Sarah Polley e Noreen Halpern, a obra conta a história da jovem Grace Marks (Sarah Gordon), uma irlandesa de classe média baixa que tenta a vida no Canadá no século XIX. Na adolescência, é condenada pelo assassinato do seus patrões, Thomas Kinnear (Paul Gross) e a governanta, Nancy Montgomery (Anna Paquin). Mais de uma década depois, o psiquiatra Simon Jordan (Edward Holcroft) deverá descobrir a verdade sobre o caso e ajudar a decidir se ela merece ou não ser libertada. O mais interessante é que, tanto na vida real quanto na série, temos um retrato do sistema patriarcal e vemos a astúcia da personagem em usar essa adversidade como uma oportunidade para escapar da pena de morte.

2. Fringe. 

Essa dica é para quem curte ficção científica com um quê de fenômenos sobrenaturais. Cancelada em 2013, após 5 temporadas, a produção ainda dá o que falar entre fãs, que discutem teorias, num estilo bem “Arquivo X” de ser. Pela trama, a agente do FBI Olivia Dunham irá investigar crimes surreais, por assim dizer, ao lado do brilhante Dr. Walter Bishop, um cientista que ficou internado numa instituição psiquiátrica por 20 anos. Qual será a verdade por trás de tudo? Tem um pouco de física, teorias da conspiração, ação e mistérios, muitos mistérios. De ficar grudado na telinha.

3. The Americans. 

Antes de mais nada, é preciso entender uma coisa: essa série foi criada por Joe Weisberg, um ex-agente da CIA. Então vocês já imaginam o que esperar, né? Na sua quinta temporada, a trama tem como pano de fundo a Guerra Fria na década de 1980, e foca na história de Elizabeth (Keri Russell) e Philip Jennings (Matthew Rhys), dois agentes soviéticos da KGB que se infiltram em território americano como um casal suburbano de Washington. Isso tudo, claro, promete muitas reviravoltas. O mais interessante é como além de um thriller de espionagem, a série aborda também dramas familiares, agradando públicos bem distintos.

4. The Fall

Sucesso de público e crítica, ela conta com a maravilhosa Gillian Anderson na pele da agente Stella Gibson, uma mulher extremamente inteligente e cuidadosa, que investiga um assassino em série. O psicopata Paul Spector, por sua vez, é interpretado por Jamie Dornan, a figura do "marido e psicólogo perfeito" com uma vida dupla bem estilo Dexter. Nesse drama de gato e rato, teremos muita ação e suspense, enquanto entramos na mente de um assassino. Muito bem executada, vale destacar também o feminismo. Paul mata por ser machista e os diálogos falam sobre a dificuldade dos homens reconhecerem a independência das mulheres são ótimos.

5. Please Like Me.

Australiana, essa comédia dramática chegou sem alarde por aqui. De maneira sarcástica e reflexiva, tenta fazer um retrato sobre os percalços da vida adulta jovem, como Girls já fez. De maneira leve, aborda temas como a sexualidade e relacionamentos sob a ótica de vários personagens. O foco porém é Josh, um rapaz que, após terminar com a namorada, assume-se como gay. Nessa nova etapa da vida, ele conta com o apoio da ex, Claire, e seu roomate e melhor amigo Tom, um rapaz que luta contra a depressão.

6. O Negócio.

Produção brasileira, essa série da HBO foi criada por Luca Paiva Mello e Rodrigo Castilho. A história é um tanto quanto criativa, e conta a história de Karin, Luna e Magali, três mulheres ambiciosas, de personalidades bem diferentes, que procuram fazer uma revolução na prostituição. Para isso, aplicam estratégias de negócio nesse mundo, o que as tornará executivas de sucesso, por assim dizer. Enquanto entram na vida de luxo, devem lidar com questões pessoais, relacionamentos e a amizade. O elenco é de peso: Juliana Schalch, Rafaela Mandelli e Michelle Batista como as protagonistas.

7. Atlanta.

Estrelada e criada por Donald Glover, o novo queridinho da televisão americana, essa série mistura drama e comédia para apresentar a jornada de dois primos que sonham em se destacar no cenário rap da cidade de Atlanta. Premiada e aclamada pela crítca, a produção vem sendo considerada uma das melhores da atualidade, ao abordar questões raciais, a juventude na entrada da vida adulta, com todos seus medos e sonhos. Com caráter político, consegue escapar da medianidade de muitas outras do gênero por aí.

8. Veep.

Você já deve ter escutado falar nela, afinal, é uma das figurinhas repetidas em quase todas as premiações dos últimos anos. Porém, bem capaz de você ter achado entediante. Obra de ficção, essa narrativa se passa no gabinete da vice-presidente dos EUA, Selina Meyer (Julia Louis-Dreyfus), e aborda como a personagem deve fugir da sombra do presidente, aprendendo a trabalhar no cargo junto aos seus assessores. Ao mesmo tempo, discute temas como a corrupção e a incompetência dos governos em muitos aspectos. Tudo em uma bela sátira, para lá de divertida. Aclamada pela crítica, a comédia está caminhando para o sétimo e último ano.

9. Mr. Robot.

Outra que talvez você talvez já conheça de nome pelo burburinho que causou lá fora quando foi lançada e em alguns grupos de fãs por aqui - como não está disponível na Netflix nem HBO, é mais difícil bombar mesmo no Brasil. Em todo caso, é brilhante e digna de uma maratona. Basicamente, a história gira em torno de Elliot Alderson (Rami Malek), um hacker gênio que é engenheiro de segurança numa empresa chamada AllSafe. Entre problemas pessoais, para não dar muito spoiler, ele acaba se envolvendo com uma organização chamada FSociety, que o meterá em muitas enrascadas, no mundo digital e fora dele. O roteiro de alto nível, com reviravoltas de tirar o fôlego, só somam mais a esse belo retrato (e um tanto realista) da cultura hacker no mundo de hoje, assim como a nossa dependência das tecnologias e o papel de robôs.

PS - Existe milhares de outras produções incríveis. Essas são só algumas de vários gêneros diferentes para, quem sabe, você dar o play independente do seu gosto.