CINEMA

"The Post" e outros 5 filmes sobre jornalismo imperdíveis

Author

Com a estreia do novo filme de Steven Spielberg, uma lista com o melhor do gênero 

Foto: The Post (Divulgação) 

Já reparou como os grandes sucessos do cinema sobre o jornalismo quase sempre têm um caráter heroico?

Quando longas são bem escritos, viram um retrato autêntico da paixão desses profissionais em contar boas histórias, revelando ao público um pouco da cultura e a prática do meio de maneira interessante.

Mas mesmo quando fogem à realidade e traçam quase o equivalente a uma caricatura dos repórteres e editores nos veículos, ainda sim têm um quê nas histórias que faz os personagens caírem no gosto do público. E se eu pudesse fazer uma aposta sobre isso, seria esta: é o compromisso com a verdade.

Em tempos nos quais discutimos tanto a liberdade de imprensa, o papel dos meios de comunicação na sociedade, a dispersão das fake news nas redes sociais e a linha tênue entre o editorial e comercial, sem contar os casos de corrupção, essa “sede” pelas notícias grandiosas nas telonas é algo particularmente atraente.

A discussão é complexa e poderia ser aprofundada, mas é o que torna lançamentos do cinema esse ano como “The Post: A Guerra Secreta”, tão relevantes. Como disse Steven Spielberg, o diretor: "Senti que existia uma grande urgência de refletir as conexões entre 1971 e 2017, porque eles foram anos terrivelmente semelhantes. É um filme para os famintos pela verdade".

Por isso, se você é uma das pessoas, vai gostar de conhecer essa lista. Separe o balde de pipoca e veja: 

1. The Post: A Guerra Secreta

Indicado ao Oscar 2018 por Melhor Filme e Melhor Atriz, pela atuação de Meryl Streep no papel de dona do jornal, o título conta a luta do “The Washington Post” para denunciar, em 1971, o governo norte-americano por negligências e mentiras sobre a atuação do país na Guerra do Vietnã. Tom Hanks ainda faz Ben Bradlee, o editor-chefe do veículo que ajuda a tomar a decisão de publicar esses documentos secretos do Pentágono. Nos cinemas.

2. Spotlight: Segredos Revelados

O drama biográfico de 2015 trata a investigação de um equipe do jornal The Boston Globe sobre casos de abuso sexual e pedofilia por membros da Igreja Católica. Na vida real, a investigação recebeu o prêmio Pulitzer de Serviço Público, em 2003. Com elenco de peso, que inclui Mark Ruffalo, Michael Keaton e Rachel McAdams, o filme foi aclamado pela crítica, e levou o Oscar de Melhor Filme e Melhor Roteiro original. 

3. Todos os Homens do Presidente

Esse clássico de 1976, de tão relevante, virou quase mandatório para alunos de cursos de jornalismo. Com Dustin Hoffman e Robert Redford, conta (novamente) uma investigação do The Washington Post, em 1972. Dessa vez, sobre a invasão da sede do Partido Democrata, caso que depois daria origem ao escândalo de Watergate, que resultou na queda do presidente Richard Nixon. 

4. Frost/Nixon

Falando em Nixon… Essa produção de 2008 dramatiza as entrevistas televisionadas do então presidente Richard Nixon, em 1977, ao jornalista britânico David Frost. O evento foi histórico porque, após três anos em silêncio sobre sua renúncia, Nixon decidiu usar essa entrevista como uma possível volta à política. Para isso, escolheu um apresentador jovem, achando que não enfrentaria problemas. O resultado foi quase uma batalha de inteligência e palavras, e transmitido por quatro dias seguidos, sendo assistida por 45 milhões de pessoas.

5. O Informante

Um pouco mais blockbuster, esse drama de 1999 é uma adaptação com liberdade fictícia, vamos dizer, de um artigo intitulado "The Man Who Knew Too Much” (ou o homem que sabia demais), de Marie Brenner, publicado originalmente na Vanity Fair, em 1996. A trama traz um ex- executivo da indústria do tabaco que, em 1994, deu uma entrevista ao programa americano “60 Minutes”, na qual dizia que os donos das empresas sempre souberam da capacidade viciante da nicotina e que incentivaram isso com outros aditivos químicos nos cigarros; e enfrentar os gigantes tem seu preço.  

6. Cidadão Kane

Considerado um dos filmes mais importantes já produzidos em Hollywood, esse clássico de 1941 é considerado uma obra-prima até hoje. Dirigido, escrito, produzido e estrelado por Orson Welles, conta a ascensão de um mito dentro da imprensa americana; de garoto pobre do interior dos Estados Unidos até o magnata do jornalismo e publicidade. Curiosamente, foi inspirado na vida do milionário William Randolph Hearst.