MULHERES

Como "meter a colher" e ajudar mulheres que sofrem violência

Author

Marcelo Camargo/Agência Brasil/Agência Brasil
Marcelo Camargo/Agência Brasil/Agência Brasil

O caso da morte da advogada Tatiana Spitzner, que caiu da janela de seu apartamento após uma briga com o marido, tomou conta das manchetes nos últimos dias. Imagens do prédio do casal mostram que o marido, Luis Felipe Manvailer agrediu a esposa, que tentou fugir. Preso, ele agora foi denunciado pela morte da esposa, um caso sob investigação.

Uma questão bastante importante que o assunto levou é sobre o antigo ditado que dizia que “em briga de marido e mulher, ninguém mete a colher”. Mas na verdade, meter a colher e ajudar mulheres que sofrem violência dentro de casa, é o que pode ajudar a evitar casos tão extremos quanto o feminicídio (assassinato de mulheres, por serem mulheres).

Conhece um casal que tem brigas frequentes? Uma mulher que aparece com marcas e hematomas com frequência? Veja algumas formas de ajudar:

1) Chame a polícia

Muitas mulheres têm medo de represália ao levar casos para a polícia. Porém, no caso de uma briga mais séria, a chegada de ajuda policial no momento constitui flagrante e pode levar o agressor à delegacia imediatamente.

2) Ofereça companhia à delegacia

Para as mulheres que querem fazer uma denúncia, mesmo em uma Delegacia da Mulher, ir sozinha pode tornar o momento ainda mais difícil. Coloque-se à disposição para acompanha-la neste momento.

3) Escute, sem pressionar

Falar sobre o assunto é muito difícil. Ofereça um espaço para as mulheres mais próximas falarem sobre o que passam, mas sem pressionar por respostas.

4) Ofereça abrigo

Muitas mulheres temem denunciar seus maridos ou namorados por medo de não ter onde se proteger de represálias, ou de não ter um espaço seguro para morar ao terminar um relacionamento. Ofereça uma cama ou um sofá para essa mulher ter onde ficar até se reerguer.