MUNDO

O que a imprensa estrangeira tem a dizer sobre a prisão de Lula

Author

Momento histórico repercutiu com muito destaque no mundo todo

Imagem: Filipe Araujo /Fotos Publicas
Imagem: Filipe Araujo /Fotos Publicas

Não poderia ser diferente: a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi notícia no mundo todo. Os principais jornais do globo falaram sobre o assunto, com direito a expressões como “o presidente que transformou o Brasil” estampando sites, jornais impressos e matérias da televisão.

O americano The New York Times, um dos jornais mais importantes do mundo, trouxe a notícia logo na capa da edição deste domingo. O jornal contextualiza a prisão com o momento político ao lembrar que em 2018, teremos eleição presidencial no Brasil. Também toma espaço para retomar a trajetória pessoal e política de Lula.

O que a imprensa estrangeira tem a dizer sobre a prisão de Lula

Já o Financial Times, outro periódico relevante no mundo, não deu a notícia na capa, mas dedicou espaço no caderno de internacional, chamando Lula de “o presidente que transformou o Brasil”.

O que a imprensa estrangeira tem a dizer sobre a prisão de Lula

O El Pais, principal jornal da Espanha, segue de perto a política no Brasil. Mas uma vez que seu próprio país se encontro diante de um belo enrosco político com a questão da Catalunha (que sim, inclui até prisões de políticos), Lula ficou com espaço reduzido na capa deste domingo.

O que a imprensa estrangeira tem a dizer sobre a prisão de Lula

Na Argentina, a imprensa não raramente cobre de perto a política no Brasil. Não foi diferente neste domingo e a prisão de Lula estampou as capas dos principais jornais. O Clarín trouxe a manchete mais forte, chamando a entrega de show político e dedicando um bom espaço para a foto do momento.

O que a imprensa estrangeira tem a dizer sobre a prisão de Lula

O que deve ser uma das mais relevantes matérias sobre o tema na imprensa estrangeira veio antes mesmo da prisão de fato e de um local improvável: a China. O canal em inglês da tv estatal chinesa CGTN entrevistou Sergio Moro, que respondeu críticas sobre a velocidade em decretar a prisão de Lula.