DINHEIRO

Sinal dos tempos: Brasil vai terminar semestre com 400 fintechs

Author

Divulgação Nubank
Divulgação Nubank

Cartão de crédito sem anuidade de empresa moderninha, empréstimos facilitados por aplicativos, conta corrente sem banco... esses são só alguns dos serviços que as chamadas fintechs oferecem.

As empresas, que são startups do setor financeiro, estão crescendo no país, mesmo num cenário dominado pelos grandes bancos. Segundo dados do Banco Central, quando o primeiro semestre de 2018 acabar, deveremos chegar a 400 dessas empresas no país.

Elas começaram engatinhando e gerando muita desconfiança. Mas a notícia é muito boa. O aumento de concorrência sempre favorece o consumidor, fazendo com que instituições se esforcem para conquistar clientes. Isso pode ir desde serviços diferenciados até taxas mais baixas (e convenhamos, precisamos disso no Brasil).

O lado negativo dessa história é que não é fácil fazer um novo negócio sair do papel no Brasil. Assim como empresas de qualquer setor, as iniciantes do mercado financeiro podem ou não dar certo.

Recentemente, uma das primeiras fintechs, o banco Neon, acabou e deixou clientes na mão. Tudo foi resolvido, mas, é claro, risco quando o assunto é dinheiro, mexe com emoções.

É preciso acompanhar e ver como se dará esse movimento. Mas o fato de que o Brasil está aberto para inovar, já é motivo para comemorar.