COMPORTAMENTO

Lançamento da Nike, hijab esportivo é uma vitória para mulheres muçulmanas

Author

A rede de lojas de departamentos Macy’s começa a vender hoje, em algumas de suas unidades nos Estados Unidos, um produto que poderia entrar numa lista dos mais inclusivos do esporte. 

Chegou ao mercado o hijab da Nike, uma versão esportiva do lenço muçulmano.

Lançamento da Nike, hijab esportivo é uma vitória para mulheres muçulmanas

(Imagem: reprodução Nike.com)

A marca anunciou em março que estava trabalhando no lançamento de seu Nike Pro Hijab, mas só agora o produto chegou às lojas. O acessório será vendido em dois tamanhos por US$ 35 cada. A partir de 7 de dezembro, também estará disponível pela internet, no site americano da empresa.

É importante lembrar que talvez a Nike esteja um pouco atrasada no lançamento (e não seria a primeira vez). 

A estratégia de vendas também é um pouco questionável. É uma pena que a estreia não esteja acontecendo nas lojas que a empresa tem no Oriente Médio.

Mas com as devidas ressalvas feitas, é preciso ressaltar o avanço que isso significa.

O hijab esportivo foi desenvolvido em parceria com mulheres muçulmanas que vão desde atletas de final de semana, até atletas de alta performance. Segundo a empresa, o material é leve e garante que o alto desempenho das mulheres não será afetado com o uso.

Também estão presentes detalhes importante, como revestimento interno confortável na área do pescoço e a parte de trás alongada para não incomodar ou repuxar o cabelo.

A empresa também teve o cuidado de procurar consultores islâmicos para garantir que o desenho atendia requisitos culturais.

O lançamento é fundamental para mulheres muçulmanas. Infelizmente, em algumas famílias e países, o uso do véu é obrigatório. Mas é muito importante lembrar que para várias mulheres ele é uma escolha, motivo de orgulho e pertencimento a cultura e religião que guia a vida delas.

O que não faz sentido nenhum é que algo tão importante na vida dessas mulheres as impeça de praticar atividades físicas com conforto ou de investir numa carreira esportiva.

Imagine o que seria o mundo dos esportes sem o talento de Ibtihaj Muhammad, por exemplo. A esgrimista nascida nos Estados Unidos é uma das estrelas da Nike na campanha de lançamento do hijab e é também um importante exponente da mulher muçulmana no esporte.

Introducing the Nike Pro Hijab ✨ #TeamNike #NikeWomen

A post shared by Ibtihaj Muhammad (@ibtihajmuhammad) on

Amna Al Haddad, uma halterofilista nascida em Dubai, também está entre as atletas que ajudaram a desenvolver o produto.

Empowerment lies in inclusion, acceptance and tolerance. It's very thrilling to see the project that I worked on with Nike - the #NikeProHijab back in 2016 - made it to @time 's best 25 inventions for 2017. As a former athlete who been through that path, there were many challenges faced and I am very happy that the project not only saw the light beginning of this year but actually making it global, winning awards and soon to be accessible for many athletes who need it. This is the epitome of what making an impact is. To see something I was part of creating, touching - literally - thousands of people worldwide, touches my heart and soul. I pray the benefit of this product touches all the souls out there who really need it and require it for their sporting needs. Clothing should never be a barrier to achieving your sporting goals, in fact we need to focus on the athlete talent, performance, and willpower instead of focusing on clothing and what they wear when they compete. Everyone should have the freedom to express themselves in a way that's true to them without hinderance. Much love, -Amna. Repost from @time - It's tough to play sports in a hijab. If the material is too heavy, it causes excess sweating. If it's too light, it might fall off during competition. And if it's fastened in the wrong way, "you can feel like you're going to choke," says @manirostom, an Egyptian runner based in the United Arab Emirates and the founder of the "Surviving Hijab" Facebook group, which has nearly half a million members. Nike's Pro Hijab—which was put into development after executives met with UAE weight lifter @amna.s.alhaddad in 2016—aims to shift that status quo. Unlike a traditional hijab, the Pro—one of TIME's 25 Best Inventions of 2017—is made with light, breathable fabric that wicks moisture; athletes who have used it report that it helps manage sweat. But for women like Rostom, who was one of the Pro's early testers, there's symbolic weight to Nike's investment, as well. "I'm athletic, I'm outspoken, I'm empowered by a big company," she says. "I'm representing what a Muslim woman can be." See the full list on TIME.com. Photograph by @sebastianmader for TIME

A post shared by آمنة الحداد Amna Al Haddad 🇦🇪 (@amna.s.alhaddad) on

O hijab da Nike é mais um passo na longa caminhada que as mulheres precisam vencer pela igualdade no esporte e em tantos outros temas.