FUTEBOL

Só se falou sobre altitude no jogo do Brasil contra a Bolívia

Author
Só se falou sobre altitude no jogo do Brasil contra a Bolívia

(Twitter / CBF)

Há anos a seleção brasileira joga nos 3.640 metros acima do nível do mar quando tem de enfrentar a Bolívia em La Paz. Foi lá, inclusive, que o Brasil sofreu sua primeira derrota nas eliminatórias sul-americanas, em 1993, por 2 a 0. E a última vez que venceu foi em 1997, na final da Copa América contra a própria Bolívia, com um time que tinha Romário e Ronaldo no ataque.

A cada jogo contra a Bolívia fora de casa, só se fala da altitude de La Paz, como se fosse a maior de todas as novidades. Parece um mantra. Altitude de La Paz. Repita comigo. Altitude de La Paz. De novo. Altitude de La Paz. Pois é. Cansa. E funciona para a Bolívia.

Penúltima colocada nas eliminatórias e sem chances de ir à Copa do Mundo, a Bolívia conseguiu resistir ao líder Brasil e empatou o jogo sem gols. Todos apontam que o motivo para isso foi qual? Isso. A altitude de La Paz. Até a CBF divulgou fotos dos jogadores com cilindros de oxigênio no vestiário após o jogo.

Na altitude, o ar rarefeito torna a respiração mas difícil e, por isso, os jogadores têm menos fôlego para conseguir dar piques e correr frequentemente durante todo o jogo. A comissão técnica da seleção brasileira decidiu usar a tática de chegar horas antes do jogo ao estádio para diminuir os efeitos dela. A altitude La Paz.

Sério. A "altitude de La Paz" era quase citação obrigatória ao falar sobre o jogo.

Mesmo que fosse para fazer piadinhas.

Ao fim do jogo, Neymar reclamou das condições ruins. Do jogo, da bola e....isso, altitude de La Paz.

A culpa foi toda dela. A altitude de La Paz.