ECONOMIA

Bitcoin estreia no mercado futuro e sobe 10%

Author

Com novos contratos na bolsa de Chicago, criptomoeda se estabelece como opção de investimento; alta acumulada no ano já chega a 1.600%

Bitcoin estreia no mercado futuro e sobe 10%

(Imagem: Creative Commons)

Os investidores estavam na maior expectativa para a estreia do bitcoin nos mercados futuros, e até agora as notícias são animadoras. Desde que começou a ser negociada na CBOE (Chicago Board Options Exchange), na noite deste domingo (10), a volátil e polêmica criptomoeda teve alta de 10%, batendo os US$ 16 mil. Isso representa, no acumulado do ano, um aumento de 1.600%.

O lançamento de contratos futuros é visto por especialistas como um passo importante para o bitcoin se estabelecer como opção forte de investimento. Nesse tipo de negociação, um investidor compromete-se a comprar um ativo por um valor pré-fixado, com data de realização futura. A ideia seria a especulação ou a proteção contra a variação de preços de um determinado produto.

Foi justamente a expectativa da entrada do bitcoin nos mercados futuros que provocou a disparada no preço da moeda nas últimas semanas. Essas notícias espalham a sensação de segurança nos investidores, que passam também a enxergar no bitcoin uma alternativa ao ouro como forma de guardar dinheiro sem vínculo com instituições governamentais, como os bancos centrais.

Se a cotação sobe, juntamente com a demanda, o consumo de eletricidade na mineração de bitcoins também dispara no mundo todo. Estima-se que a blockchain gaste cerca de 29 terawatts por hora - mais do que países inteiros, como Uruguai ou Irlanda.

Os bons resultados iniciais esquentam os rumores de que a Nasdaq também lançará contratos desse tipo relacionados ao bitcoin no primeiro semestre do ano que vem. O que tende a estimular ainda mais mineradoras e investidores. Embora os economistas tenham apenas uma vaga ideia de valor da moeda para o futuro, alguns já estimam que ela possa chegar a US$ 50 mil em 2018.