TECNOLOGIA

Gigante chinesa venderá carros por aplicativo e vending machines

Author

Você escolhe modelo e cor pelo celular, marca um test drive e retira o veículo num prédio que funciona como máquina de salgadinho e refrigerante

Gigante chinesa venderá carros por aplicativo e vending machines

(Foto: Divulgação/Alibaba)

No futuro, comprar um carro vai ser tão simples quanto pegar uma lata de refrigerante naquelas máquinas de venda automática. Será? Esse é o plano da chinesa Alibaba.

A gigante do mercado eletrônico planeja construir prédios de alta tecnologia que servirão como vending machines, esses equipamentos encontrados em shoppings e outros locais públicos de conveniência para fornecer salgadinhos e bebidas. Mas o comprador não vai precisar escolher o modelo na vitrine, inserir o cartão de crédito e esperar o carro cair. Todo o processo vai ser atrelado a um aplicativo no celular.

Como o vídeo abaixo mostra, a ideia é oferecer uma solução integrada de vendas entre os mundos online e offline. O usuário poderá tirar uma foto de qualquer carro na rua e procurá-lo para comprar. O aplicativo indicará o local onde o modelo está disponível e marcará um test drive. Por meio de reconhecimento facial, o sistema de segurança do prédio vai reconhecer a transação e liberar o carro para o possível comprador.

A partir daí, começará um período de três dias de teste. Se gostar do veículo, o usuário poderá comprá-lo online, debitando o valor de seu cartão de crédito. Se não, é só voltar ao prédio, devolver o carro e pedir outro modelo para avaliação, caso ache conveniente.

O sistema automático de vendas facilita a vida do consumidor, mas também é um risco para a empresa. Por isso, serão elegíveis para a experiência somente cidadãos com nota alta no sistema de crédito do país. Os compradores com ótima reputação no Alibaba também poderão usufruir do serviço. Cada pessoa terá limite de cinco test drives a cada 60 dias.

A ideia pode parecer maluca, coisa de filme futurista. Mas ela deve sair do papel em menos de dois meses, nas cidades de Xangai e Nanquim, numa parceria com a Ford. Se tudo der certo, a Alibaba levará a novidade para toda a China ao longo do ano que vem.

Como o processo é online, pelo menos os usuários não terão medo de que a máquina gigante roube suas moedinhas. Tomara que a saída dos carros também não engasgue - ou vai ser bem difícil chacoalhar um prédio inteiro para o veículo cair.